“Aceitei o desafio de ser presidente da Acif por acreditar na cidade”

OBSERVATÓRIO - 18:00:43
“Aceitei o desafio de ser presidente da Acif por acreditar na cidade”

Mateus Morales, 28 anos, formado em Economia, é da nova geração de empresários que quer fazer a diferença em Fernandópolis. Ele acabou de ser eleito presidente da Acif – Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis e aposta em “uma entidade atuante, renovada, dinâmica com pique para fazer acontecer”. Para tanto, anuncia que já iniciou uma reestruturação da entidade. Na entrevista ao CIDADÃO, Mateus  mostra preocupação com a crise e o desemprego, que fomenta instabilidade e incertezas, mas aposta que é na crise que aparece a oportunidade para as empresas se reinventarem. Ele que integra o novo Conselho do Programa de Desenvolvimento Sustentável  de Fernandópolis, disse também que mantém a crença no projeto da ZPE e defende que o projeto de revitalização do centro seja tirado da gaveta. Ao mesmo tempo lamentou o triste acontecimento da semana, que deixou a classe empresarial perplexa com o brutal assassinato do comerciante Célio Busato dos Santos Junior, da Padaria Popular, durante assalto. “Estamos a total disposição das autoridades e poder público para ajudar, dentro de nossas competências, a desenvolver a segurança em nossa cidade, para que crimes como esses não afetem, prejudiquem e entristeçam nossa sociedade”, disse. Veja a entrevista:  
O que o levou a topar o desafio de ser o presidente da Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis? 
Aceitei o desafio de ser o presidente da Acif única e exclusivamente por acreditar em Fernandópolis. Nossa cidade é um centro regional de comércio, serviços e indústrias e precisa de uma Associação Comercial e Industrial atuante, renovada, dinâmica e com pique para fazer acontecer. Um bom trabalho da Acif culmina no desenvolvimento e crescimento da atividade empresarial na cidade, que é sinônimo de melhor qualidade de vida para a população em geral. Outro ponto que me motivou muito foi a receptividade e empolgação das empresárias e empresários ao receber meu convite para participar da diretoria executiva. Formamos um time consistente, diversificado e prontos para os novos desafios. Precisamos disso: pessoas que se unam para trabalhar em prol do desenvolvimento de Fernandópolis. 
Você faz parte de uma nova geração de empresários e vai assumir uma entidade que movimenta o PIB da cidade. Quais são seus projetos? 

Já iniciamos um trabalho de reestruturação da entidade. Estamos revisando a qualidade e eficiência dos serviços prestados aos associados, bem como contratos de prestação de serviços. Também retomaremos projetos importantes anteriormente abandonados. Em paralelo, iniciaremos um trabalho de Ouvidoria junto ao empresário para conhecer as principais demandas, elencando-as e definindo prioridade. Nesse momento é muito importante saber ouvir para termos maior assertividade em nossos projetos. 
Em quatro anos Fernandópolis, segundo o Caged, perdeu 3,5 mil postos de trabalho, com maior impacto no comércio e indústria que encolheram 40%. Qual o impacto disso na economia da cidade? 
Eu vejo sempre os dois lados da moeda, Em uma cidade como a nossa, que é um centro comercial regional, o desemprego fomenta instabilidades e incertezas, retraindo mais ainda a economia e reduzindo o consumo no setor, impactando de forma negativa na economia da cidade. Por outro lado, nesse mesmo período vemos exemplos de empresas que usaram as dificuldades para crescer: se reinventaram, profissionalizaram-se e desenvolveram novas práticas que, apesar de um cenário nacional negativo, fizeram diferença e impactaram de forma positiva na economia da cidade e região. 
Em momento de crise, o que é prioridade na gestão de uma entidade como Acif? 
A Acif uma entidade representativa. No caso, representamos os empresários do comércio, serviços e indústria. Nesse primeiro momento, nossa prioridade é entender a prioridade do empresário. Defendemos a classe que é responsável pela movimentação da economia da cidade, e que precisa ser ouvida, entendida e desenvolvida. Quando tivermos esclarecidas quais são as principais demandas de nossos associados, uniremos nossas forças e representatividade trabalhando na realização. 
Seu pai, Neoclair Morales, já foi presidente e integra o conselho gestor da Acif . Isso te dá mais segurança na empreitada?
Sim. Experiência é muito importante, em minha opinião. O Neoclair fez uma gestão bastante competente à frente da Acif, defendendo e desenvolvendo projetos que beneficiaram não só a classe empresarial, mas a sociedade fernandopolense em geral. Assim como ele, todos os ex-presidentes da entidade podem contribuir de forma muito positiva com a Acif. E o pensamento é esse: mesclar a juventude da nova diretoria com a experiência do Conselho Gestor, tornando a Acif uma entidade mais forte e representativa. Poder contar com sabedoria dos ex-presidentes e conselheiros da Acif me traz muito mais segurança e confiança. 
Fernandópolis não consegue decolar um projeto industrial consistente. Como jovem empresário, onde estaria o erro? 
Fernandópolis é totalmente capaz de decolar um projeto industrial muito consistente. Aliás, acredito que temos muita vantagem na “disputa” para atrair investimento empresarial pelo fato de nossa cidade ser um centro regional econômico. Como jovem empresário, penso que o ideal não é apontar “onde estaria o erro”. Os erros são importantes para evolução, mas temos que pensar e concentrar nossas forças em soluções. A prioridade, em minha opinião, e dar condições mínimas de infraestrutura em nossos parques industriais dando condições mínimas para que os empresários se sintam atraídos pela nossa cidade. Atrelado a isso, criar uma política organizada de incentivos variados, beneficiando indústrias sérias, geradoras de emprego e renda para Fernandópolis. 
Ainda acredita no projeto da ZPE?
Sim. O cenário político é extremamente favorável. Estamos vivendo um momento muito importante em Fernandópolis e, pela primeira vez, temos engajamento e alinhamento nas três esferas do governo: federal, estadual e municipal. Portanto, politicamente falando, continuo com minha crença que em breve teremos boas novidades sobre a ZPE. Acredito ainda que nesse momento é necessário muito cuidado, profissionalismo e transparência na condução do processo. Posso garantir que a Acif tem total interesse e disposição em participar e contribuir, e fazer a ZPE acontecer! 
Você está iniciando gestão na Acif ao mesmo tempo em que a cidade também tem um novo governo com o prefeito André Pessuto, que também é um jovem político. Que tipo de relacionamento pretende ter com o novo comando da cidade? 

O melhor possível! Acredito que nossa Associação pode contribuir de forma muito positiva no desenvolvimento de Fernandópolis. Tenho certeza que o objetivo do André está totalmente alinhado com o nosso: fazer Fernandópolis voar! 
Há muito se ouve dizer que o centro comercial de Fernandópolis precisa passar por uma revitalização. Acha viável encampar uma proposta dessa natureza e, neste caso, por onde começar? 
A Acif, com o apoio do poder público, tem plena competência para estar à frente da revitalização do centro comercial da cidade – que é uma necessidade. Revitalização, em nossa opinião, não se trata somente de obras civis e acabamentos estruturais. Engloba um conjunto de fatores que darão outra dinâmica ao centro da cidade. Pretendemos começar retomando um Projeto de Revitalização já existente, desenvolvido em gestões anteriores, porém não executado. A partir daí, vamos unir forças para presentear os cidadãos de Fernandópolis com um centro revitalizado. Além disso, também é objetivo cuidar, desenvolver e defender o comércio fora do centro da cidade. Atualmente, temos bairros com centros comerciais próprios que necessitam da mesma atenção que o centro para crescer e atender a população. 
No seu comando, qual será o tratamento às campanhas promocionais da Acif? 
Precisamos reestruturar nossas campanhas levando em conta que os hábitos de consumo mudaram muito devido à influência e facilidade tecnológica. Pensaremos em ações e promoções que realmente sejam relevantes. A ideia é tornar a campanha promocional um fator decisivo, influenciando e atraindo o consumidor para Fernandópolis. 
A questão da violência está causando perplexidade na população. Em novembro, morreu um Policial Militar no ataque a caixa eletrônico no Shopping e esta semana, um comerciante foi brutalmente assassinado durante assalto. Como a Acif se posiciona diante dessa onda de crimes violentos na cidade? 
Primeiramente gostaria de, mais uma vez e em nome dos colaboradores e diretores da Acif, prestar nossas mais sinceras condolências aos familiares e amigos do empresário Célio Busato. A Acif acredita que a segurança, junto com saúde e educação, é um dos pilares do desenvolvimento humano. Sem segurança as pessoas não têm condições de se desenvolver social e economicamente. Estamos a total disposição das autoridades e poder público para ajudar, dentro de nossas competências, a desenvolver a segurança em nossa cidade, para que crimes como esses não afetem, prejudiquem e entristeçam nossa sociedade. 
É possível olhar para 2017 com otimismo? 
Com certeza! Otimismo, planejamento, inteligência e trabalho duro é a fórmula do sucesso!

 

VEJA TAMBÉM


Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');