O MISTÉRIO DA DÍVIDA

ARTIGOS - 08:21:22

A prefeitura acumula uma dívida de R$ 52 milhões enquanto os contribuintes fernandopolenses devem mais de  R$ 50 milhões para os cofres públicos. Resumo: há um empate técnico entre o que a prefeitura tem a pagar e a receber. É aí que mora o mistério. Entra prefeito, sai prefeita, e a reclamação é a mesma. Não há Cristo que desça na terra e faça esses contribuintes recolherem o que devem aos cofres da viúva. As ameaças de levar a cobrança às últimas consequências já não assustam mais.  A prefeitura fala dessa dívida, mas não apresenta qual o perfil desses devedores. Por exemplo: desse montante, qual o valor devido pelos 10 maiores devedores?  Qual o o total de contribuintes que devem de R$ de 1 a 5 mil?  O tamanho da dívida ativa chega a instigar também algumas considerações. Dada a divisão política que existe hoje na cidade,  há quem diga que os eleitores do candidato a prefeito que perdeu a eleição, deixam, por birra, de pagar seus impostos. É algo para ser estudado. Mas, o que é certo mesmo é que essa conta revela por si só a ineficiência da máquina arrecadadora da prefeitura. Eis ai um bom desafio de gestão para o novo prefeito.

Bate pronto

O prefeito André Pessuto (DEM) já completou 40 dias de mandato  e ainda não escalou seu líder na Câmara. O presidente do legislativo, Étore José Baroni, que já foi líder de vários prefeitos, comentou esta semana que neste início de mandato o prefeito tem preferido  reunir os vereadores no gabinete do Paço para discutir projetos antes de envia-los ao Legislativo.  Ou seja, o prefeito está fazendo às vezes de líder , aproveitando-se do ambiente de  ainda “lua de mel” com os vereadores. A última reunião foi na quinta-feira, pouco antes de apresentar à imprensa o relatório financeiro da prefeitura.

 

A vereadora Neide Garcia (PP) voltou à carga e apresentou o projeto para tornar o dia 8 de Março – Dia Internacional da Mulher, feriado municipal. Na legislatura passada, ela enfrentou forte resistência quando tentou aprovar projeto para que a data fosse considerada ponto facultativo nas repartições públicas. Agora ela amplia a proposta para feriado municipal. Resta saber como será a reação do comércio e da indústria, vide Associação Comercial.   

 

O vereador Cidinho do Paraíso (PR) posou garboso com a medalha “Alferes Tiradentes” , concedida pelo Instituto Tiradentes por ter sido o vereador mais votado em Fernandópolis. Nas redes sociais ele postou ontem a tarde: “Aqui Eu vereador Cidinho do Paraiso recebendo a medalha de Ouro , por ser o mais votado! Agradeço a Deus e ao 2.880 pessoas que votaram em mim! Obrigado Fernandópolis !”

 

Deputados  da região se mobilizaram para tentar reverter o fechamento do Friboi de Santa Fé do Sul que resultou na demissão de 620 funcionários. No inicio da semana, os deputados  estaduais Itamar Borges (PMDB) e Carlão Pignatari (PSDB), o federal Fausto Pinato (PP) e o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (PMDB) estiveram na sede da JBS em São Paulo para tentar reverter o fechamento da unidade do frigorífico em Santa Fé, com 620 demissões.

 

SÓ UMA DESISTÊNCIA SALVA O FEFECÊ

O torcedor do Fefecê que sofreu no ano passado com a queda do time da A-3, para a Segunda Divisão (ou como diz o radialista Ivan Gomes: “Quarta Divisão”), já começou a penar  antes mesmo da bola rolar no campeonato. Por causa de obras de R$ 12 mil, não realizadas no ano passado, o Corpo de Bombeiros não expediu o AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros para liberar o Estádio Claudio Rodante. Resultado, o time não cumpriu os prazos da Federação e está fora do campeonato deste ano. A tabela do campeonato, inclusive, já foi divulgada. O presidente do clube, Álvaro Zonta se apega na última chance, ou seja, na eventual desistência de algum clube para poder ser chamado pela Federação. Enquanto isso, a prefeitura realiza as obras necessárias. O prefeito André Pessuto culpou a última gestão, alegando que as obras deveriam estar prontas em 23 de janeiro e que ele, que assumiu  no dia 1º não seria mágico para executá-las à tempo. Aliás Pessuto contemporizou: “Quem sabe não seja melhor o Fefecê, do qual sou torcedor, ficar fora este ano e voltar melhor organizado no ano que vem”. A torcida, nas redes sociais está  cuspindo fogo...

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM


Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');