Médicos decidem aguardar 20 dias por posição da Santa Casa sobre dívida

SAÚDE - 18:12:29
Médicos decidem aguardar 20 dias por posição da Santa Casa sobre dívida

A crise da Santa Casa atinge o ápice. Os médicos que atendem no hospital decidiram aguardar mais 20 dias por uma posição da Provedoria do Hospital a respeito do pagamento de honorários médicos. Os atrasados, que vêm desde 2013, já atingem a cifra de R$ 5 milhões, revelou esta semana o presidente da APM – Associação Paulista de Medicina – Regional de Fernandópolis, Márcio Gaggini. 
A decisão de aguardar os 20 dias foi tomada durante reunião dos médicos na APM na sexta-feira, 10. A reunião foi pedida pelos 35 médicos que atendem na Santa Casa, 25 deles associados da APM. O prazo termina na próxima semana. Segundo Gaggini, a nova diretoria da Santa Casa foi quem pediu o prazo de 60 dias para dar uma posição sobre a crise que atinge o hospital que hoje tem uma dívida acumulada de R$ 28 milhões e acumula déficit mensal de R$ 600 mil. 
De acordo com Gaggini, apesar da situação os médicos não abandonaram o atendimento.   “O hospital sempre foi nossa prioridade”, afirmou. Ele fez um relato para mostrar que a classe médica tem se posicionado no sentido de ajudar o hospital a sair da crise. “Em meados de 2015, a gente já acumulava uma divida de 2 milhões em honorários e ficamos sabendo que naquela época a provedoria queria fazer empréstimo no valor de 3 milhões. Para ajudar o hospital, o que a gente fez na época? Pegamos esses dois milhões dividimos em 25 parcelas sem juros para ajudar o hospital a sair daquela situação. Infelizmente desse acordo o hospital pagou apenas duas parcelas. Essa divida vem se arrastando há muito tempo. A gente quer o bem do hospital, mas quer uma forma digna de trabalho para os médicos”, cobrou o médico. 
Segundo o presidente da APM, os médicos não querem tomar nenhuma atitude que venha afetar o atendimento no hospital. “Eles se reuniram com a gente e pediram 60 dias de prazo para nos dar uma posição. Por isso resolvemos aguardar mais 20 dias por esse posicionamento. Mesmo sem receber, a gente (médicos) não abandonou o atendimento. Estamos aguardando a solução”, esclareceu. 
O novo provedor da Santa Casa, Edilberto Sartin, que assumiu o cargo após a renúncia de Sandra Godoy chegou a cogitar no anúncio da situação da Santa Casa, a possibilidade até de entregar o hospital para outra OSS – Organização Social de Saúde.
Para o médico Márcio Gaggini, os médicos vêem a possibilidade com bons olhos. “É pensamento em comum de que se for para o bem do hospital , independente do que possa sofrer uma classe ou outra, a gente vê com bons olhos”, disse.
Ao reafirmar o prazo de 20 dias para uma solução, o médico esclareceu: “Mesmo sem receber honorários, vamos continuar atendendo. Só que vai chegando um momento que vai ficando difícil e precisamos tomar uma decisão”. 

 

VEJA TAMBÉM


Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');