Um fernandopolense no comando da Ceagesp

OBSERVATÓRIO - 18:08:03
Um fernandopolense no comando da Ceagesp

Desde o inicio do mês, o fernandopolense Johnni Hunter Nogueira, bacharel em Ciências Jurídicas, é o novo diretor-presidente da Ceagesp - Companhia de Entreposto e Armazéns Gerais de São Paulo. Johnni é filho do casal Jesus e Candinha Nogueira. “Tendo (Fernandópolis) um filho seu à frente da presidência da Ceagesp, me parece ser um motivo de recíproco orgulho e satisfação”, relatou nesta entrevista ao CIDADÃO, em meio a agenda apertada. Para Fernandópolis, sua terra natal, ele tem uma boa notícia: “Entre as metas fixadas para curto e médio prazos, está a reforma e adequação das instalações da unidade da Ceagesp localizada no município de Fernandópolis com a construção de ramal ferroviário”. Para assumir a Ceagesp, o fernandopolense teve seu nome aprovado pelo Conselho Administrativo  da Companhia e ratificado pelo Ministro da Agricultura Blairo Maggi. Veja a entrevista: 

O que representa sua nomeação como presidente da Ceagesp para sua cidade natal? 
Tenho uma visão positiva acerca desta indagação, pois, a Ceagesp é uma das principais empresas estatais brasileiras de abastecimento e armazenagem de grãos, sendo a terceira do mundo nesse segmento. Tendo um filho seu à frente da presidência, me parece ser um motivo de recíproco orgulho e satisfação. 
A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo é estratégica para o governo, principalmente na ação para fortalecer a cadeia de abastecimento de produtos hortifrutigranjeiros. Em que condições está recebendo a Companhia? 
Como é de conhecimento de todos os brasileiros, o nosso país passa por um momento difícil sob a ótica política, econômica e financeira. A Ceagesp também ressente este momento de retração das vendas, obviamente resultante da queda do poder aquisitivo das pessoas. 
Quais a metas que, como diretor presidente, pretende alcançar em sua gestão? 
Antes mesmo de ingressar na Presidência da Ceagesp, tive o cuidado de fazer um estudo aprofundado da situação administrativa da empresa e pude extrair a necessidade urgente de um programa visando, em curto prazo, sanear as despesas, com a redução de custos com as contratações terceirizadas, melhoria no diálogo entre os Sindicatos, regularização das Permissões e Autorizações de Usos, além de promover uma adequação e revigoração dos armazéns e silos de estocagem de grãos, bem como, ainda, implantar essa dinâmica nos entrepostos localizados no interior do nosso Estado. 
Fernandópolis tem uma unidade da Ceagesp que teve seu auge nas décadas de 70 até 90. Hoje está subutilizada, inclusive na armazenagem. Como fernandopolense, pretende desenvolver algum projeto para que a unidade volte a ocupar lugar de destaque na região? 
Entre as metas fixadas para curto e médio prazos, está a reforma e adequação das instalações da unidade da Ceagesp localizada no município de Fernandópolis. Com efeito, pretendemos construir um ramal ferroviário; reformar ou substituir os silos; promover um trabalho de convencimento junto aos produtores da região de Fernandópolis e do Mato Grosso do Sul, com o escopo de atraí-los a fazerem uso de nossos serviços. Acreditamos, aliás, que esse diálogo fortalecerá a Ceagesp, motivará o produtor e, sobretudo, a comercialização de hortifrutigranjeiro, fazendo com que todos possam crescer de forma ordenada. 
É possível pensar em transformar a Ceagesp de Fernandópolis de unidade de armazenagem em um polo regional de abastecimento e comercialização de produtos hortifrutigranjeiros? 
Em princípio, não visualizo a transformação da nossa unidade de armazenagem em um polo regional de abastecimento, pois, tratam de atividades e objetivos muito diferentes. Todavia, podemos pensar numa futura expansão das nossas atividades, agregando a já existente (entrepostagem), em um polo de abastecimento e comercialização de hortifrutigranjeiro, posto que, os resultados serão melhores e mais dinâmicos. Contudo, quem vai determinar a viabilidade deste novo projeto é o próprio mercado de compra e venda de produtos hortifrutigranjeiros na região de nossa querida Fernandópolis.  
Como órgão ligado ao Ministério da Agricultura, que papel a Ceagesp poderia desenvolver para o agronegócio da região ? 
O papel institucional reservado a Ceagesp é dar suporte à entrepostagem de grãos produzidos na região e nos Estados vizinhos.
Sua mãe, Candinha Nogueira, é fundadora da AVCC e foi vereadora em Fernandópolis. Ser filho de uma mulher atuante e política, inspira-o a sonhar com a possibilidade de seguir o seu exemplo? 
A expressão “política” tem como significado a “arte de viver juntos” e com meus pais aprendi amar ao próximo, fazer o que é necessário para que possamos viver juntos e em união, todavia, jamais passou em minha mente a ideia de postular cargos eletivos. Cumpro o meu mister com o que aprendi das lições extraídas de meus pais, que muito me orgulho, bem como, de tudo que busquei na vida profissional e acadêmica. Não sou político, sou um cidadão com o objetivo de fazer o bem para que possamos viver melhor. 
Qual o maior exemplo dela que você adotou para sua vida? 
Honestidade. Falar da minha mãe é sinônimo de integridade, honestidade, de uma mulher guerreira, humildade como ser humano, sem distanciar das ações que ela sempre atuou com amor ao próximo. Isso eu adotei como um privilégio, não como um dever -, lições de uma verdadeira pessoa humana: minha MÃE! 
Você trabalhou na assessoria do deputado Carlão Pignatari (PSDB), mas sua nomeação para a Ceagesp foi por indicação do deputado federal Fausto Pinato (PP). Como foi essa costura política? 
Tive o privilégio de trabalhar por muitos anos na Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, onde alcancei experiência e conhecimento. Recentemente trabalhei junto ao Gabinete do Deputado Estadual, Carlão Pignatari (PSDB), amigo pessoal e de minha família. Com efeito, é inegável minha relação de amizade com o Deputado Federal, Fausto Ruy Pinato (PP), com quem convivi desde minha infância na cidade de Fernandópolis. Contudo, em relação à nomeação ao cargo de Presidente da Ceagesp, o Partido Progressista indicou-me com o aval do referido Deputado Federal, porém, a nomeação só foi possível após um exame minucioso de meu currículo, atestados de capacidade técnica, vida pregressa, idoneidade como critério objetivo, tendo sido aprovado pelo Conselho Administrativo da Companhia e ratificado pelo Ministro da Agricultura Blairo Borges Maggi. 
O que Fernandópolis pode esperar de Johnni Hunter Nogueira, um fernandopolense que chegou a presidência da Ceagesp? 
A exteriorização de tudo o quanto pude colher durante minha vida profissional, além, obviamente, do exercício e prática dos princípios éticos e morais que subtrai da teoria, da prática, e, principalmente, das lições de meus pais. Pretendo, ainda, colocar em prática os projetos que estão em andamentos, entre os quais, destaco o diálogo institucional formalizado com o Dr. Fábio Meirelles, Presidente da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo, bem como, com o Sr. Marcos Mazeti (amigo Fernandopolense), no intuito de chamarmos os produtores hortifrutigranjeiros da região de Fernandópolis, com a finalidade de viabilizar a venda de produtos diretamente na Ceagesp, sem intermediários.

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');