As pedras nos sapatos dos vereadores

ARTIGOS - 08:58:29

Os vereadores vão completar os primeiros 100 dias de gestão agora em abril com algumas pedras nos sapatos, metáfora para três projetos polêmicos que tramitam pela casa. São eles: o que cria o feriado municipal no Dia 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, de autoria da vereadora Neide Garcia; o que proíbe a realização de festas open bar na cidade, de Maiza Rio; e o que reajusta a taxa de iluminação em 50% (passando dos atuais quase R$ 10 para R$15) este de autoria do Executivo. Os três projetos enfrentam forte reação popular. O presidente Étore José Baroni diz que é preciso bom senso para evitar desgastes desnecessários. No caso da taxa de iluminação o presidente diz que vai propor uma reunião com o prefeito André Pessuto, junto com os vereadores, para tentar demovê-lo da ideia do reajuste. Calejado, Baroni usa a experiência legislativa para pautar o momento certo de recuar e evitar confrontos desnecessários. A propósito: Baroni já prepara levantamento para o balanço de 100 dias, marca a ser atingida no dia 10.

BATE PRONTO

Na mesma semana que o CIDADÃO  tratou do assunto como um fato NEGATIVO para a cidade essa onda de colagem de cartazes em postes na área central da cidade, baixou na mesa do prefeito André Pessuto ofício da Acif assinado pelo presidente Mateus Morales cobrando rigor na fiscalização. Para a entidade, “além da poluição visual, o aspecto de desordem afugenta investidores  que realmente prezam pela higiene e conservação do patrimônio”.

 

Vida de ex-prefeito passa longe de ser “dolce far niente” (traduzindo: ociosidade agradável). Dois da região que o digam: depois do ex-prefeito de Dolcinópolis José Luiz Reis Inácio de Azevedo  ser preso pela Polícia Federal na “Operação Catatau”, esta semana foi a vez do ex-prefeito de Urânia, Francisco Airton Saracuza na operação que levou o nome de “Repartição”. Já se especula na região qual será o nome da próxima operação da Polícia Federal.

 

O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB) de Votuporanga engoliu seco, mas foi diplomático ao comentar a escolha do governador Geraldo Alckmin para liderança do governo na Assembleia Legislativa. “Acho a melhor escolha”, disse Carlão, que era cotado para o cargo. Barros Munhoz, o escolhido do governador, teve o mandato cassado no ano passado e está recorrendo  da decisão do TRE em Brasília. A propósito: Alckmin volta a região. Estará neste sábado em São João de Iracema.

 

O aumento de casos de caxumba

Neste início de ano, Fernandópolis está registrando aumento dos casos de caxumba, principalmente em jovens. A Universidade Brasil confirmou que estudantes universitários contraíram a doença e estão fora de sala de aula com atestado médico. A instituição negou que tenha ocorrido suspensão de aulas. Na manhã desta sexta-feira, 31, a secretaria de Comunicação confirmou que houve aumento de casos. No ano passado foram notificados 8 casos e já neste primeiro trimestre de 2017, foram 40. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde estão sendo adotadas medidas de orientação à população e vacinação de bloqueio nos contatos dos usuários com os doentes.

Segundo a nota, “não se trata de uma epidemia, pois a população acometida pela doença é na sua maioria formada de estudantes ou de pessoas que participaram de uma formatura no final do mês de janeiro onde foi aberto um surto. Todos os que adoeceram após essa festa foram monitorados e as medidas preventivas realizadas”. O modo de transmissão da caxumba é por via aérea, através disseminação de gotículas, ou por contato direto com saliva de pessoas infectadas.

 

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');