“Santa Casa precisa de gestão profissional”, diz ex-provedor

SAÚDE - 16:28:00
“Santa Casa precisa de gestão profissional”, diz ex-provedor

Quarta-feira, 5 de abril, foi mesmo o “Dia D” para a Santa Casa. Em assembleia, a irmandade aprovou mudanças no estatuto e transferência da gestão hospitalar para a OSS – Organização Social de Saúde da Santa Casa de Andradina. O ex-provedor, Edilberto Sartin, que coordenou essa transição, justificou a decisão: “Não dá mais para a Santa Casa ser administrada por voluntários. Precisa de pessoas que fiquem lá dentro, 10, 12 horas por dia, que entendam da gestão, tenham know-how. A nossa Santa Casa é ampla, atende 12 municípios da região e até de outros estados. Então, tem que tomar um rumo e ser administrada como empresa”.
O presidente da OSS de Andradina, o advogado Fábio Antônio Obici, em entrevista à Rádio Difusora nesta sexta-feira, 7, disse que “o objetivo da nova gestão é garantir atendimento muito bom a população e equilibrar as finanças. Não estamos substituindo a Irmandade. Viemos ajudar e trabalhar para regularizar a situação. A Santa Casa continua sendo de Fernandópolis”.
Edilberto Sartin reafirmou essa questão ao esclarecer que está sendo adotado o modelo de gestão profissional e compartilhada, ou seja, a OSS responderá ao Conselho Administrativo  e Conselho Fiscal da Irmandade da Santa Casa de Fernandópolis. “Não entregamos a Santa Casa prá ninguém”, enfatizou. 
O ex-provedor que agora volta a ocupar posto no Conselho Administrativo da Irmandade revelou ainda detalhes da articulação para a transferência de gestão à OSS de Andradina. “A Secretaria Estadual da Saúde indicou que a Santa Casa precisava ter a gestão de profissionais. Essa articulação veio também dos nossos deputados Fausto Pinato e Gilmar Gimenes, nosso prefeito André Pessuto, que conseguiram trazer isso até nós. Analisamos, vimos que eles (OSS) tem um know-how profissional para tocar o nosso hospital”.
A OSS da Irmandade da Santa Casa de Andradina tem experiência  em gestão hospitalar. Atualmente é responsável pela gestão da Santa Casa de Andradina, AMEs de Andradina, Araçatuba e Promissão, além dos dois serviços de urgência e emergência (pronto socorro) de Araçatuba. Agora vai incorporar a Santa Casa de Fernandópolis e, provavelmente, o AME e Lucy Montoro de Fernandópolis.
“Na segunda-feira, 10, chegamos com nossa equipe (gerente de finanças, compras, administrativo e jurídico) para iniciar o trabalho”, anunciou Fábio Obici, tranquilizando que a nova gestão não significa rupturas. “Vamos entrar em todos os setores da Santa Casa, analisar contratos e reforçar parcerias. Não existe varinha mágica para resolver os problemas. A situação é delicada e exige austeridade. Vai levar tempo”, disse. 
Contudo Obici lembrou algo que chamou sua atenção desde que iniciou os contatos para que a OSS assumisse a gestão da Santa Casa de Fernandópolis. “A situação é preocupante, mas Fernandópolis tem uma diferença que nenhuma outra cidade tem. A sociedade aqui é unida e sempre disposta a ajudar. Isso vai tornar o trabalho mais fácil”, acrescentou.
Sobre o atendimento na Santa Casa garantiu: “As mudanças começam na segunda-feira, 10. O reflexo na questão de atendimento, a população já vai sentir na segunda-feira”.

 

VEJA TAMBÉM


Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');