“Briga” entre Ceads e Jacob vai parar no MP

POLÍTICA - 21:25:54
“Briga” entre Ceads e Jacob vai parar no MP

A briga entre o vereador Murilo Jacob (PR) e o Ceads - Centro Educacional de Apoio Desenvolvimento Social e Cultura – vai parar nas mãos do Ministério Público. É o que diz outra nota divulgada no final da tarde de ontem, 8, na página oficial da entidade no Facebook. 

O atrito entre as partes começou já há alguns dias. No mês passado Jacob questionou, durante uma explicação pessoal, a transparência do Ceads. Ele disse que a princípio não iria questionar números, pois ainda aguardava resposta de outros requerimentos, mas sim questões políticas.
Segundo o edil, que teve acesso às atas de reuniões da diretoria da entidade por meio de requerimentos anteriores, ela sempre foi dirigida por familiares da ex-prefeita Ana Bim (fundadora da entidade) ou pessoas que trabalharam com ela em cargos comissionados na Prefeitura. 
“Até 2014, todos os diretores do Ceads eram parentes da ex-prefeita ou eram pessoas de cargo comissionado dentro da Prefeitura. Meu questionamento é o seguinte: a Área Azul foi dada ao Ceads por decreto, ou seja, ela pegou uma entidade que só tinha parentes dela e deu a concessão da Área Azul. Tem uma questão aí de transparência.  Não se pode pegar um serviço que deu mais de R$ 600 mil no ano passado e pagar subvenção da Prefeitura para dar na mão de parentes. Isso está errado”, disse o vereador. 
RESPOSTA 
Em resposta a entidade publicou uma primeira nota afirmando que não houve interferência política na concessão e que o Ceads estaria sendo vítima de perseguição política. 
“Mais uma vez nos vemos sendo vítimas de perseguição política e o motivo, todos sabem. O mesmo grupo de outrora, agora travestido de novo, e com algumas peças novas, porém com o mesmo pensamento retrógado, continua com o mesmo jogo sujo, tentando prejudicar dezenas de pessoas assistidas pela entidade única e exclusivamente por vingança e, para isso, utilizam da mesma artimanha de sempre, colocando fantoches de pouca inteligência para fazerem o que querem, mas não têm coragem de fazer”.
RÉPLICA 
A resposta da entidade irritou o vereador que voltou à Tribuna para, mais uma vez, criticar a atuação do Ceads e apresentar números que ele extraiu dos balancetes apresentados para ele em resposta a seus requerimentos.
“Ao todo foram gastos mais de R$ 920 mil com reformas, imagine se outras entidades tivessem esse dinheiro para gastar. A CEADS atende atualmente 30 adolescentes, e tem muito dinheiro em patrimônio acumulado”, disse o vereador.
O vereador disse ainda que não se trata de perseguição política, mas sim do interesse de um vereador em desenvolver o seu papel. 
“Só estou querendo saber como é aplicado o dinheiro da população que é arrecadado com o pagamento da Zona Azul. Em 25 anos nunca prestaram conta de onde vai o dinheiro. Tinha que ampliar o atendimento a adolescentes do município e não imobilizar o patrimônio”, finalizou Jacob.
TRÉPLICA
Em resposta ao vereador a entidade divulgou nova nota em sua página no Facebook dizendo que a apuração de Jacob é parcial e tendenciosa e que, por conta disso, irá encaminhar toda documentação ao Ministério Público pedindo para que as contas sejam analisadas e que, caso haja alguma irregularidade, os culpados sejam punidos. 
Veja a nota em seu inteiro teor: 
O CEADS (Centro Educacional de Apoio Desenvolvimento Social e Cultura), vem a público, mais uma vez, esclarecer inverdades sobre o seu trabalho: 
1- Há 27 anos prestamos um trabalho VOLUNTÁRIO de atendimento a adolescentes e/ou adultos de alta vulnerabilidade social. Começamos como a antiga Guarda Mirim Feminina e, ao longo dos anos, fomos responsáveis pela inserção de mais de 2400 meninas (hoje mulheres e mães de família, reforçamos) no mercado de trabalho; 
2 - Em todo esse tempo construímos uma história de amor e dedicação por Fernandópolis, história essa que, depois de tantos anos de trabalho, estão querendo manchar por interesses particulares e políticos; 
3 - Já dissemos e vamos repetir: não temos, nunca tivemos e nunca teremos nada a esconder. Nosso trabalho, sempre foi desenvolvido com transparência. Nossas contas e atas sempre estiveram e sempre estarão à disposição das pessoas de bem de nossa cidade; 
4 - Porém, infelizmente, os fantoches que mencionamos na NOTA anterior, mostraram que realmente são dotados de pouca inteligência. Isso fica claro quando eles sequer têm a capacidade intelectual de analisar um BALANÇO e se valem da imunidade parlamentar para difamar e atacar ao seu bel-prazer; 
5 - O CEADS nunca teve R$ 1 milhão em caixa disponível para investimentos, como disseram. É aí que entra a LEITURA de um balanço entre receita e despesa, coisa que até uma criança de quarta série consegue fazer; 
6 - Mas, o errado não é não saber, e sim sair falando besteira antes de procurar se informar. E olha que nós nos colocamos a inteira disposição para esclarecer qualquer dúvida. Mas a verdade para eles não interessa e isso deixa ainda mais claro o cunho pessoal e político de tudo o que está acontecendo; 
7 - Querem nos crucificar por fazermos uma boa gestão dos recursos. O que na verdade deveria ser uma obrigação de todos os órgãos públicos e entidades, se tornou motivo de chacota, como se isso fosse uma coisa ruim; 
 8 - Os investimentos que eles tanto bradaram que fizemos em reformas e construção foram feitos ao longo dos anos, tijolo por tijolo, e o resultado está aí para quem quiser ver. Nossa sede em 1990 era apenas uma casinha, que em função da grande demanda foi crescendo até se tornar o que é hoje. O prédio da Rua Lavínia, tão criticado, está sendo construído desde 2006 e como perdeu sua finalidade originária (aumentar a demanda de atendimento) em função das mudanças na legislação, foi colocada à disposição para aluguéis como uma outra fonte de renda para a entidade;
9 - Quando o CEADS assumiu a Área Azul em 1993, o prefeito à época chegou a fazer um chamamento público para que as entidades interessadas se manifestassem, porém, nenhuma, além do CEADS, demonstrou interesse e desde então mantivemos esse trabalho com seriedade e respeito, o que não estão tendo com a gente agora; 
10 - Por fim, queremos deixar claro que não confiamos nessa apuração parcial e tendenciosa, motivo pelo qual nosso Conselho Administrativo decidiu encaminhar toda a nossa documentação ao Ministério Público, para que ele tome todas as providências e que, caso encontre alguma irregularidade, puna os responsáveis; 
11 - Por mais que tentem, como falam por aí em alto e bom som, nunca conseguirão fechar o CEADS. Já tentaram outras vezes e todos fracassaram, sabe por quê? Porque políticos passam, mas a história de um trabalho tão bonito como o que sempre desenvolvemos, ficará para sempre. 

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');