Cobrança de estacionamento na “Área Azul” já está suspensa

ARTIGOS - 18:51:24

O Ceads – Centro Educacional  de Apoio, Desenvolvimento Social e Cultural já não opera mais o estacionamento rotativo no centro da cidade. O prazo de 30 dias concedido pela prefeitura para cessar os efeitos do decreto que concedia em caráter precário a exploração da  denominada “Área Azul” terminou ontem. Em nota, a prefeitura confirmou: “A partir do dia 23 (hoje) às operações da Área Azul pelo Ceads estão encerradas e a cobrança será suspensa para adequação da sinalização e outras providências”. No entanto, desde quarta-feira, as pessoas que trabalhavam no sistema já foram dispensadas pelo Ceads. 

A cobrança não tem prazo para voltar, porque no processo de adequação citado pela prefeitura há uma licitação para definir a empresa que vai explorar os serviços a partir de agora e isso demora. “Quanto à licitação estamos finalizando o Edital e nos próximos dias será publicado”, acrescenta a mesma nota emitida pela secretaria de Comunicação.
O novo sistema de estacionamento oneroso no centro de Fernandópolis foi recentemente regulamentado pelo prefeito André Pessuto e prevê entre outras coisas, a expansão da área que passa a englobar 1,8 mil vagas.
Nesta semana, a Acif – Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis – emitiu nota de apoio ao processo de modernização da área azul. “Entendemos que é extremante necessário a modernização e profissionalização da área azul, transformando, de forma efetiva, os estacionamentos principais da cidade em uma área rotativa para fomentar áreas comerciais e de prestação de serviços”, diz a nota.
“Sabemos que estacionar veículo na área central e em seu entorno tem sido uma das principais reclamações, além de consumidores encontrarem dificuldades em ter acesso ao cartão da área azul, o que os colocam em risco de sofrerem a aplicação de multas”, justifica. Para a Acif, a empresa vencedora da licitação se instalará em nossa cidade, gerando renda, riqueza e empregos para nosso município. E sugere: “ A Acif tem total preocupação com a situação das/os agentes da área azul. Portanto, sugerimos à Prefeitura Municipal acordar com a empresa vencedora da licitação que dê preferência na contratação ou absorção do trabalho dessas pessoas”.


Bate pronto

  Foi lido na última sessão da Câmara, o projeto de Decreto Legislativo nº 09/2017, de autoria da Comissão de Finanças e Orçamento, que dispõe sobre a rejeição das contas da Prefeitura Municipal de Fernandópolis, referentes ao exercício financeiro de 2014, de responsabilidade da ex-prefeita Ana Bim. A matéria vai a votação no plenário em uma das sessões de outubro. Para reverter o parecer do TCE, a ex-prefeita precisará de 9 votos contra o decreto legislativo, para evitar possível inelegibilidade futura.

  O ex-prefeito Luiz Vilar de Siqueira foi transferido esta semana da cadeia do Guarujá para o presídio de Tremembé em São Paulo, para cumprir o mandado de prisão expedido contra ele pela Justiça de Fernandópolis. Vilar está preso por conta da condenação a 13 anos no caso envolvendo os famigerados decretos da Expo. O ex-prefeito está agora no mesmo presídio onde o genro, o médico Luiz Henrique Semeghini também cumpre pena desde o ano passado, por causa da condenação pelo assassinato de Simone Maldonado em 2000. 

  Na entrevista coletiva em que anunciou a liberação de R$ 400 mil para reformas do Pronto-Socorro e da Unidade V da Santa Casa, o prefeito André Pessuto reafirmou o que havia dito na Câmara: “Quem pediu o fechamento da UPA ao Ministério da Saúde fui eu”. Pessuto lembrou, porém, que o fechamento não ocorrerá de uma hora para outra e nem deixará a população sem assistência. “Até porque eu posso vir precisar da UPA”, disse, torcendo para que o Ministro da Saúde encontre uma solução para o problema.

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');