Direto da Redação

ARTIGOS - 18:09:40

Dia 27 foi comemorado o Dia Nacional da Doação de Órgãos. Dias antes, no sábado, 23, a Santa Casa de Fernandópolis realizou a captação de órgãos de um paciente de 45 anos, morador de Mesópolis,  que sofreu um acidente vascular cerebral hemorrágico e estava há três dias na UTI. Depois de verificada a morte encefálica, a equipe do Hospital e a Comissão Intra-Hospitalar de Transplante iniciaram o protocolo, acionando a Organização de Procura de Órgãos de São José do Rio Preto e a Central de Transplante, com sede na cidade de São Paulo. Uma força tarefa que contou, inclusive, com apoio da Força Aérea Brasileira, foi acionada. Identificados os órgãos viáveis para o transplante e, havendo a autorização dos familiares, foi realizada a captação, sendo os rins e o fígado destinados às cidades de São José do Rio Preto e Campo Grande/MS, respectivamente. Os procedimentos duraram cerca de quatro horas e envolveram equipes de Fernandópolis e de Rio Preto.

Para que a doação seja efetivada, o desejo precisa ser consentido por algum familiar de até 2º grau, de acordo com a legislação brasileira de transplantes. Uma única pessoa pode ajudar salvar mais de dez vidas. O grande desafio é a efetivação do ato, já que, no Brasil, ainda há resistências das famílias para autorização da doação de órgãos.  
Mas, a cenário está mudando, pelo menos aqui na região. Os números mostram  quue número de órgãos captados aumentou mais de 50% de 2016 para 2017, o que resulta em centenas de vidas salvas e outras tantas beneficiadas.
O  crescimento é resultado de um trabalho que passou a ser feito nos últimos anos em 15 hospitais, incluindo a Santa Casa, que mantém a Comissão Intra Hospitalar de Transplantes,  com a capacitação dos profissionais de saúde tanto para o acolhimento da família como o de abordagem quando o paciente pode ser um doador. Neste ano, foram captadas 426 córneas (51,6% mais) e 62 órgãos (72,2% a mais) em hospitais da região.
Enquanto no Brasil o índice de recusa das famílias para doar os órgãos de seus entes queridos gira em torno de 43%, na região ele é de 30%, ou seja, a cada dez famílias consultadas, sete aceitam que os órgãos que estão aptos sejam destinados a quem necessita de um transplante para continuar a viver. É um grande avanço.


Bate pronto

  Ainda não será a partir de 1º de outubro que o Iamspe - Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual – vai voltar a atender os servidores de Fernandópolis e região, como havia prometido no início deste mês. Em nota, o Iamspe informa “que estão sendo feitos os últimos ajustes no contrato com a Santa Casa de Fernandópolis. Na próxima semana o Iamspe vai comunicar a data de assinatura, bem como o dia do início dos atendimentos”.  Em nota, a Santa Casa diz que aguarda manifestação do Instituto: “Quando  houver a autorização, a Santa Casa passará a cumprir o contrato o quanto antes”, diz. A espera continua...

  Uma boa notícia. O número de furtos em Fernandópolis caiu 51% em agosto, comparado com o mesmo mês do ano passado. Em números, foram 47 furtos em agosto deste ano, contra 96 no ano passado. Esse número também é o menor registrado nos oitos meses do ano. O pior mês do ano na estatística de furtos foi março com 91 furtos. Os números foram divulgados esta semana pela Secretaria Estadual da Segurança Pública.

  Houve queda também nos casos de roubos. Foram 26 ocorrências de janeiro a agosto deste ano contra 54 no mesmo período do ano passado, queda de 51%. Caíram também os furtos de veículos, menos 30%: 53 este ano contra 76 de janeiro a agosto de 2016. O que aumentou foram os acidentes de trânsito, 260 nos oitos meses deste ano com sete mortes, contra 187 no mesmo período do ano passado com cinco mortes. 

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');