O fechamento e as contas da UPA...

ARTIGOS - 17:41:19

O vereador João Pedro Siqueira (PTB) sempre se posicionou contra o fechamento da UPA – Unidade de Pronto Atendimento, ideia já manifestada publicamente pelo prefeito André Pessuto (DEM), que inclusive já formalizou o pedido ao Ministério da Saúde. Nesta semana, o vereador voltou ao assunto para justificar, com números, porquê é contra o fechamento. 

Os números que o vereador utiliza são da própria prefeitura.  Vamos lá: o gasto total da UPA, mês referência julho, já incluindo pagamento de Raio –X e Laboratório, foi de R$ 472.274,75.  O repasse do Ministério da Saúde é de R$ 100 mil o que reduz para R$ 372.274,75 o custo para a prefeitura. 
“Se fecharmos (a UPA), gastaremos com RH (servidores concursados), R$ 234.974,26, mais a subvenção de R$ 250 mil para a Santa Casa, mais a compra do prédio estimado em R$ 35 mil/mês (durante cinco anos), o gasto sem a UPA será de R$ 519.974,26, portanto, gastaríamos a mais, R$ 147.699,51 por mês”, diz o vereador em post nas redes sociais. O valor a maior custaria aos cofres públicos por ano R$ 1.772.394,12. “Além disso, ficaríamos sem a UPA e com a Santa Casa superlotada e com atendimento, ao meu ver, bem pior”, escreveu. O vereador lembra ainda que o pedido de fechamento poderá colocar a cidade em descrédito com o governo federal em relação as cidades da região (Votuporanga, Jales e Santa Fé do Sul) que mantém a UPA há muito mais tempo que Fernandópolis. 
As contas de João Pedro Siqueira confrontam com o prejuízo alegado pela prefeitura na justificativa sobre o pedido de fechamento da UPA. Quando a matemática não bate, alguma coisa está errada. Ou não...

Bate pronto

  O anel viário de Fernandópolis volta à pauta. O deputado estadual Gilmar Gimenes peregrinou nos últimos dias pela Secretaria de Transportes e DER para tratar do projeto do Anel Viário de 15 km, para o qual já foram construídos dois viadutos de interligação na Rodovia Euclides da Cunha (em frente o Distrito Industrial IV e próximo a Cantina do Morini). No DER, com o superintende Ricardo Volpi, Gimenes obteve o compromisso que uma equipe do DER virá a cidade para aprofundar os estudos para a construção do anel viário. Com as informações de custo e prazos para a realização da obra o deputado deve pressionar a secretaria de Transportes e o governo do Estado para execução da obra.


  O Tribunal de Contas do Estado emitiu esta semana novo alerta à prefeitura após o fechamento das contas de agosto. Na análise da Receita (Execução Orçamentária) o TC aponta situação desfavorável demonstrando tendência ao descumprimento das Metas Fiscais. Aponta incompatibilidade na análise do resultado primário no comparativo com a LDO e volta alertar que nas despesas com pessoal o limite prudencial já foi alcançado.  O alerta termina com a observação: “Por oportuno, esclarecemos que em virtude do apurado, deverão ser observadas as exigências contidas na legislação supra citada, a fim de evitar possíveis sanções de ordem administrativa e/ou penal”.

  Deu na coluna “Fique Sabendo” do Jornal de Jales, de sábado, dia 30 – “A coluna apurou que, na surdina, o prefeito André Pessuto está fazendo gestões para tentar levar a Biscoitos Keleck, uma das empresas que mais geram empregos em Jales, para Fernandópolis. A proposta é tentadora: a Prefeitura doaria quatro alqueires à Keleck, à margem da Rodovia Euclides da Cunha, com terraplenagem.  Além do prefeito Pessuto, a força-tarefa de Fernandópolis era constituída pelos secretários municipais de Obras e Assuntos Jurídicos, além do empresário Titosi Uehara, ex-diretor executivo do Grupo Arakaki, ainda hoje muito influente naquela cidade”.

  A jovem Keren  Senazar Marzochi Carvalho, 16 anos, foi a oitava vítima do trânsito de Fernandópolis. Ela estava na garupa da moto que se envolveu em acidente de trânsito no final de semana, na Avenida Expedicionários Brasileiros em cruzamento controlado por semáforo. Após cinco dias internada em Rio Preto, a estudante acabou vindo a óbito e foi sepultada na quarta-feira. A Polícia investiga as causas do acidente. A morte de Keren ocorre dias depois da morte súbita da estudante Lívia Carla Garisto Marchiori, de 13 anos, na Escola Armelindo Ferrari. Dias de muita tristeza e dor para a cidade.

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');