Cidinho do Paraíso pede suspenção do contrato de R$ 700 mil em coffe break

POLÍTICA - 17:42:33
Cidinho do Paraíso pede suspenção do contrato de R$ 700 mil em coffe break

O vereador Aparecido Moreira da Silva, Cidinho do Paraíso (PR) solicitou, por meio de uma indicação apresentada na sessão de terça-feira, 3, a suspensão do contrato firmado entre a Prefeitura de Fernandópolis e a empresa Shirlei Aparecida Zoccal – MEI, para o fornecimento de quase R$ 700 mil em coffee break para as secretarias municipais. O pedido se deu após repercussão da reportagem de CIDADÃO sobre o caso. 

Cidinho não utilizou a Tribuna para falar sobre o assunto. Porém, na justificativa apresentada aos colegas, ele afirma que seu pedido foi realizado “dada a necessidade de cortes de despesas pela municipalidade, em razão da crise econômica nacional”. 
Antes mesmo do pedido de Cidinho, a Prefeitura decidiu publicar um Termo de Rerratificação, reduzindo em 10,43% o valor, ou seja, de R$ 695.800,00 para R$ 623.208,50. A redução dos valores, obviamente, não diminuiu em nada a indignação da população).
NO RIO 
No Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella (PR) também está sofrendo com a repercussão negativa do coffee break. E olha que o contrato de lá não chega a um terço do daqui, mesmo tendo 6,32 milhões de habitantes. 
A informação foi publicada na coluna do jornalista Lauro Jardim do “O Globo”. Acompanhe: 
Após cortar o vale-transporte de parte dos servidores da prefeitura, Marcelo Crivella lançou anteontem uma licitação de R$ 275 mil para o “coffee break”, conforme diz o edital, em eventos da Secretaria de Educação.
No edital, é estipulado que a comida será servida a “25 mil comensais” no período de um ano. Ou seja, alimentará até 68 pessoas por dia.
Vencerá o edital quem oferecer o menor preço pelo fornecimento de sanduíches variados, sucos de fruta, refrigerante, chocolate quente, biscoitos e bolos (chocolate, formigueiro, laranja, milho, cenoura com cobertura de chocolate e limão com cobertura de açúcar).
O CONTRATO 
O contrato com a referida empresa veio à tona após a publicação de um dos membros do grupo de CIDADÃO no Whatsapp. O munícipe André Semeghini publicou uma foto do extrato da ata de registro de preços nº 127/2017, da Prefeitura de Fernandópolis, cujo objetivo era a “contratação de empresa especializada no fornecimento de coffee break para uso das secretarias municipais”. 
A celebração do contrato em si nada traz de novo. O que chama a atenção é o gasto estimado pela municipalidade com as guloseimas: R$ 695.800,00, que depois acabou caindo para R$ 623.208,50. O contrato, para fornecimento por 12 meses, foi, como já mencionado, celebrado com a empresa Shirlei Aparecida Zoccal – MEI, de Fernandópolis. 
A empresa contratada será responsável pelo fornecimento de três tipos de coffee break: Padrão 1, Padrão 2 e Padrão 3, cada um custando, respectivamente R$ 14, R$ 11 e R$ 12. A administração municipal estimou comprar 18050 de padrão 1, a um custo total de R$252.500,00, 21300 de padrão 2, totalizando R$ 234.300,00 e 17400 do padrão 3, com um gasto de R$ 208.800,00. 
“Gestão André Pessuto irá gastar quase R$700 mil neste ano em Coffee Break. Parabéns pela economia”, ironizou Semeghini. “E os CEMEIs pedindo dinheiro aos pais para fazer festa do Dia das Crianças”, completou outro internauta. “É muito dinheiro em salgadinho em”, concluiu um terceiro. 
OUTRO LADO 
Procurada, a Prefeitura por meio de sua secretaria de Comunicação informou que trata-se apenas de uma ata de registro de preços, o que não significa que a administração municipal irá gastar tudo isso com coffee break. 
A Prefeitura disse ainda que as secretarias enviam ao departamento de compras uma estimativa do que irão usar durante ano, mas que em 90% dos casos nenhuma delas usa o serviço. 
Por fim, a administração municipal esclareceu que os padrões de 1 a 3 correspondem as características de cada kit e que são utilizados em eventos como o da Campanha do Agasalho e outros eventos. Afirmou também, que o serviço teria sido utilizado apenas duas ou três vezes este ano.

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');