Negócio de R$ 2,8 milhões é colocado em concorrência

GERAL - 21:30:02
Negócio de R$ 2,8 milhões é colocado em concorrência

A empresa que vencer a concorrência aberta pela prefeitura de Fernandópolis para gestão da exploração, apoio e monitoramento de vagas de estacionamento rotativo eletrônico pago, denominado “Área Azul – Rotativo  Fernandópolis” vai administrar um negócio com estimativa de faturamento anual de R$ 2,8 milhões. A concorrência foi publicada na quinta-feira, 20, e a abertura dos envelopes marcada para 5 de dezembro, 9 horas, na sala de imprensa do Paço Municipal

O edital de 85 páginas, que está disponível no site da prefeitura, estabelece todo o regramento do processo licitatório que compreende a concessão onerosa na modalidade de concorrência técnica e preço para monitoramento social e administração de Solução de Estacionamento Digital no Município de Fernandópolis/SP, contemplando todos os recursos materiais, de tecnologia e serviços necessários ao seu correto funcionamento, com repasse de percentual de receitas ao Município por período de 10 anos.
A implantação do novo sistema de “Área Azul” deve ocorrer apenas em 2018, já que após todo o trâmite burocrático da licitação, a empresa vencedora terá prazo de 60 dias, após a assinatura do contrato, para colocar o serviço em operação. 
Diante desse quadro, a prefeitura deverá adotar o plano B para operar o sistema no final do ano, conforme anunciou em nota ao CIDADÃO na edição passada.  “Pode ocorrer alguma questão burocrática. Por isso, já há um estudo para viabilizar o sistema que seria diretamente feito pela Prefeitura”, apontou a nota da Secretaria de Comunicação. 
Desde 20 de setembro, o sistema de estacionamento rotativo no centro que era operado pelo Ceads – Centro Educacional de Apoio, Desenvolvimento Social e Cultural – foi suspenso. 
A prefeitura justifica  que busca a defesa do interesse público sobre o individual ao propor o novo sistema e aponta que “após pesquisas e estudos concluiu-se que a operação do estacionamento regulamentado rotativo pago, deverá ser feita de forma automatizada, por meio de equipamentos eletrônicos, objetivando a prestação de elevado nível de serviços para o usuário, e que permitam total integridade financeira da arrecadação, possibilitando a aferição imediata de receita e permita a auditoria permanente por parte do poder concedente, mais eficiente com geração de indicadores de mobilidade, relatórios de gestão da exploração e dos equipamentos e softwares utilizados, considerando um sistema sem totens e sem a emissão de papel (totalmente eletrônico), excetuando os postos de revenda credenciados”.
Na planilha que acompanha o edital, a prefeitura estima que nas 1.803 vagas disponíveis na “Área Azul”, com uma taxa de respeito em torno de 70% e taxa de ocupação de 60%, durante 23,6 dias (10 horas por dia) deve produzir receita de R$ 239,6 mil por mês. No ano, a receita estimada chega a R$ 2,8 milhões. 
A empresa vencedora deverá investir cerca de R$ 450 mil para implantar todo o sistema, desde aquisição de equipamentos eletrônicos, até implantação de sinalização e campanha de orientação ao usuário. Na planilha de despesa com mão de obra, o edital aponta que a empresa deverá operar com 25 pessoas, entre gerente, supervisor de operação, assistente administrativo, atendente, auxiliar de limpeza e monitores (20), com custo estimado mensal de R$ 66 mil.
Pelo contrato, a vencedora terá que repassar para a prefeitura 15% da receita mensal, estimada em R$ 35 mil. De acordo com a planilha, a empresa deverá operar com receita estimada em R$ 239,6 mil e despesas em R$ 186,2 mil, com rentabilidade de R$ 53 mil. 

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');