Depois do Outubro Rosa, Novembro Azul: tudo pela conscientização

CADERNO VIVA - 16:39:25
Depois do Outubro Rosa, Novembro Azul: tudo pela conscientização

Os meses do ano agora tem cor. Só em 2017, por exemplo, os fernandopolenses ouviram falar do “Janeiro Branco”, “Setembro Amarelo” e, agora o mais recente e reconhecido “Outubro Rosa”. As cores dadas aos meses do ano têm um único objetivo: chamar a atenção da população sobre a importância e a necessidade de se prevenir. 

Apenas para recordar, em janeiro, um grupo de terapeutas fernandopolenses trouxeram a campanha Janeiro Branco - que visava debater e difundir uma reflexão sobre a saúde mental – para a cidade. 
O objetivo era sair das práticas curativas, onde a doença já está instalada e buscar as práticas preventivas, que são os cuidados emocionais, o fortalecimento emocional, destacando o fato de que qualquer pessoa que passa por dificuldade, precisa entender que é necessário falar sobre as dores, as emoções e buscar cuidados pertinentes para isso.
“Não podemos esperar que a doença apareça para que a gente vá cuidar. Temos que trabalhar antes, fazer o desenvolvimento pessoal, e podemos fazer isso nas nossas relações, como elas estão, em casa, no trabalho, as relações interpessoais, inclusive, precisam ser muito mais fortalecidas para que possamos nos comunicar melhor com o outro, assertividade, autorreflexão, auto percepção, tudo isso traz um benefício enorme para o ser humano como ser integral”, frisou a psicóloga Vilma Beatriz, uma das idealizadoras da campanha na cidade. 
SETEMBRO AMARELO 
Já em setembro, o Rotaract Clube de Fernandópolis promoveu uma ação conjunta com comerciantes locais com o objetivo de divulgar o Setembro Amarelo, uma campanha de valorização da vida e prevenção a suicídios. A proposta foi que todas as lojas do centro da cidade vestissem seus manequins com peças amarelas para chamar a atenção da população. 
 “O número de suicídios hoje, infelizmente, é maior do que o número de mortes por Aids, por exemplo, e que muitos tipos de câncer. Falar sobre isso é importante, afinal, o silêncio dessas pesasoas é o grande problema da questão. Elas precisam conversar e muitas vezes não encontram esse apoio há tempo. É preciso fazer com que essas pessoas se abram, procurem ajuda de psicólogos, psiquiatras, enfim, especialistas no assunto, o que não podemos é continuar nesse silêncio”, explicou Fernando Ponciano, representando o Rotaract
OUTUBRO ROSA 
O Outubro Rosa dispensa comentários. A campanha, internacionalmente conhecida, surgiu nos Estados Unidos, onde vários estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e/ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama. 
Posteriormente, a popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em torno de tão nobre causa. Cada ano vem aumentando a adesão ao movimento mundial “Outubro Rosa”, que visa chamar atenção, diretamente, para a realidade atual do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce.
NOVEMBRO AZUL 
Agora, para finalizar o ano, porém não menos importante, vem o Novembro Azul, uma campanha de conscientização, realizada por diversas entidades no mês de novembro, sendo dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata.  
No Brasil, a estimativa para este ano é de 61.200 novos casos de câncer de próstata e cerca de 13.772 óbitos - segundo tumor que mais mata os homens. O primeiro é o câncer de pulmão -. É o câncer mais comum no Brasil - excluindo-se os cânceres de pele - e representa cerca de quatro em cada 10 cânceres que atingem a população masculina brasileira com mais de 50 anos de idade.
 A campanha surgiu justamente para mudar esses números tão alarmantes. A ideia central é colocar na cabeça dos homens – culturalmente relapsos com a saúde -, que a prevenção é e sempre será o melhor remédio. 

“O exame de rotina salvou minha vida” 
Aos poucos o foco principal do Novembro Azul tem surtido efeito. Muitos homens que antes resistiam e até encaravam a prevenção com certo preconceito, já começaram a se cuidar e isso tem salvado vidas. 
Edmilson Santos Torres, de 54 anos, é um exemplo disso. Já ciente da importância de se cuidar, de ano em ano ele faz seus exames de rotina na rede pública municipal. Porém, este ano, algo estava diferente em seus resultados. 
“O médico que me atendeu no postinho viu que meu PSA estava muito alterado e me encaminhou para o Urologista. Após o exame de toque veio a confirmação de que minha próstata estava inchada e imediatamente me encaminharam para Rio Preto para fazer a biópsia. Algum tempo depois, descobri que estava com câncer”, contou. 
Tudo foi muito rápido. No ano anterior seus exames não apontavam nada de anormal e 12 meses depois ele já estava diagnosticado com um câncer. Todavia, como a descoberta foi precoce em função dos exames de rotina, Edmilson passou por um procedimento cirúrgico e hoje se recupera em casa. 
“Não sentia nada de anormal, nenhuma dor, nenhuma dificuldade para urinar, nada. Ainda bem que fui fazer os exames, pois se demorasse para descobrir poderia não ter condições de contar essa história”, concluiu.

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');