“Ser prefeito mirim de Fernandópolis foi um marco na minha personalidade”

CADERNO VIVA - 18:54:48
“Ser prefeito mirim de Fernandópolis foi  um marco na minha personalidade”

Os estudantes do 4º ano da rede municipal de ensino de Fernandópolis estão na expectativa da eleição do prefeito, vice-prefeito, vereadores e secretários mirins de Fernandópolis. Vão viver uma experiência que há 36 anos marcou a vida do hoje médico Paulo Garcia Ferreira Filho. Em 1981 ele foi eleito prefeito mirim com 12 anos de idade. Era estudante da Escola “Coronel Francisco Arnaldo da Silva”. 

Na época, a diretora da escola era a professora Wandalice Franco Renesto. Ao tomar conhecimento do projeto “Agentes Mirins” encampado pelo prefeito André Pessuto, ela resgatou em seu acervo histórico uma foto de 1981, onde o primeiro prefeito mirim de Fernandópolis, Paulo Garcia Ferreira Filho, aluno do “Coronel”, foi recebido em audiência no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, em São Paulo pelo Chefe de Gabinete da Casa Civil Octávio Zampirollo. O encontro foi agendado pelo então deputado estadual Adhemar de Barros.
A professora Wandalice relembra que a eleição do prefeito e vereadores mirins ocorreu durante a gestão do prefeito Milton Leão e que, as autoridades mirins, realizavam reuniões na Câmara e com o prefeito, ou seja, cumpriam suas “funções legais”. 
MÉDICO EM RIO PRETO
O jornal CIDADÃO localizou o primeiro prefeito mirim de Fernandópolis. Aos 48 anos, Dr. Paulo Garcia Ferreira Filho é hoje um renomado médico em São José do Rio Preto. Estava a caminho da Argentina para um congresso médico, mas abriu espaço na agenda lotada para relembrar um marco em sua história. 
“O projeto de prefeito mirim foi muito legal! Eu tinha 12 anos e fizemos eleições diretas em todas as escolas de Fernandópolis, eram quatro chapas. A minha (chapa) chamava-se  AMF  - Autoridades Mirins Fernandopolenses”, relembra.
O médico destacou que o mandato foi de um ano. “Nos reuníamos na Câmara Mirim, prefeito, vice-prefeito e vereadores onde se fazia, com registro de ata. Fomos até a Delegacia de Ensino e estivemos também em São Paulo, na época, recebidos pelo deputado Adhemar de Barros e levados ao Palácio dos Bandeirantes para audiência com o secretário Octávio Zampirollo. Levamos vários projetos, e dois deles se concretizaram: a instalação do segundo grau na Escola Carlos Barozzi na Brasilândia; e a cobertura da quadra da Escola Afonso Cáfaro. Na época não existia segundo grau no Carlos Barozzi. Havia apenas na EELAS e no Saturnino Leon Arroyo.  Imagina a dificuldade para estudar e concluir o segundo grau”, relatou. Na época, o governador de São Paulo era Paulo Maluf. 
O então menino, hoje médico, comentou sobre a experiência que vivenciou em Fernandópolis, onde nasceu: “Foi um marco na minha personalidade, a partir daí sempre atuei de maneira a liderar os grupos de amigos, de escola, cheguei a pensar em seguir carreira política mas, o sonho de ser médico, falou mais forte. Tenho muita saudade da dona Wandalice e de outros professores do Coronel, a formação que tive nesta escola foi fundamental para que alicerçasse a minha carreira. Quero deixar um beijo para a dona Wandalice”, concluiu.
Hoje Paulo Garcia Ferreira Filho é médico otorrino, especialista em nariz e face, com Clínica em São José do Rio Preto. É membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cávio-Facial; membro titular da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face; membro da International Federation of Facial Plastic Surgery Societies; e referência em rinoplastia e procedimentos estéticos, funcionais, reconstrutivos de nariz e face. 
O médico Paulo Garcia Ferreira Filho nasceu em Fernandópolis em 31 de janeiro de 1969, filho do casal Aparecida Ribeiro Vilas Boas Ferreira e Paulo Garcia Ferreira. A família veio de Macedônia. 
AGENTES MIRINS
A escolha do prefeito, vice-prefeito, vereadores (presidente, vice-presidente e 1º e 2º secretário da Câmara de Vereadores) e secretários, resgatado pelo prefeito André Pessuto, por iniciativa do Ouvidor Municipal Edmar de Oliveira, envolverá alunos do 4º anos das escolas municipais. A escolha será por meio de um concurso de redação, onde os estudantes terão que responder questões relativas aos cargos. 
A primeira seleção será na escola. Cada escola escolherá uma redação que será examinada por uma banca. O critério de escolha deverá seguir os cinco quesitos: melhor redação, melhor proposta, aluno com bom rendimento escolar e aluno com menos falta. Aquele que somar mais pontos será o escolhido em cada categoria.
Os alunos eleitos neste programa terão seus mandatos em vigor por período de 12 meses a contar da posse, que ocorrerá no dia 19 de dezembro, em sessão solene extraordinária na Câmara de Vereadores “Palácio 22 de Maio Prefeito Edson Rolim”, quando serão empossados todos os eleitos.
Duas vezes por ano o prefeito mirim poderá despachar direto do gabinete, acompanhando o prefeito oficial nas ações cotidianas. As datas serão sempre no mês de outubro, durante a semana da criança e dezembro, período natalino. Os secretários mirins e vereadores também acompanharão os secretários e vereadores em sessões, eventos e reuniões públicas.

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');