Com 400 pessoas em tratamento contra Aids, cidade intensifica campanha “Fique Sabendo”

CADERNO VIVA - 18:35:32
Com 400 pessoas em tratamento contra Aids, cidade intensifica campanha “Fique Sabendo”

1º de dezembro é o Dia Mundial de Luta contra a Aids. O ano nem terminou e Fernandópolis já notificou 31 novos casos de pessoas diagnosticadas com o vírus HIV. No Cadip - Centro de Atendimento a Doenças Infectocontagiosas e Parasitárias, 400 pessoas fazem uso da terapia com antirretroviral, um coquetel de medicamentos que ajuda a melhorar a qualidade de vida dos portadores do vírus.

Nesta semana de luta contra a Aids, a Secretaria de Estado da Saúde lançou a 10ª Campanha de Testagem “Fique Sabendo”, que incentiva a prevenção por meio da realização de testes não apenas de HIV, mas também de sífilis, outra doença sexualmente transmissível e que é tratada como epidemia. 
Fernandópolis é uma das 597 cidades que realiza a campanha que ocorre diariamente nas Unidades Básicas de Saúde e que neste sábado, estará na Praça Joaquim Antônio Pereira. O teste é simples e o resultado sai na hora.
Em recente entrevista ao CIDADÃO, o médico infectologista do Cadip Mauricio Favaleça falou da preocupação com o avanço da sífilis e da Aids. As duas doenças estão relacionada ao comportamento sexual. 
“Temos visto que as pessoas não estão se preocupando muito com a prevenção durante os atos sexuais. Por pensar que a sífilis tem tratamento, tem cura, as pessoas não pensam nas consequências que a doença pode trazer”, alertou. 
Em relação a Aids, ele é mais incisivo: “Temos que lembrar para o HIV tem medicamento para controlar a doença e permitir melhor qualidade de vida. Mas, não estamos falando de cura. Então, a melhor forma de combater a Aids é a prevenção. E uma das formas de transmissão é por relação sexual. Então, é usar o preservativo”, acrescentou. 
O médico foi enfático na questão da prevenção. Segundo ele não dá para descuidar. “Todo mundo que tem vida sexual ativa, independentemente da idade, tem que fazer o teste e usar preservativo”, advertiu. Favaleça lembra também de outro perigo silencioso, a Hepatite C. Antes de 1993 não tinha exames para fazer o diagnóstico e muita gente se contaminou. “A hepatite C é uma doença silenciosa, então a pessoa pode ter a doença e não sabe que tem. Grande parte dos portadores de hepatite crônica não sabe que tem a doença, porém, alguns descobrem numa fase já de cirrose e isso é ruim. Vejam a importância desse teste rápido”, avisou.

VEJA TAMBÉM

teste

Costa Azul turismo
ga('send', 'pageview');