Prefeitura promete consertar ar-condicionado do ônibus da saúde em 30 dias

SAÚDE - 08:23:36
Prefeitura promete consertar ar-condicionado do ônibus da saúde em 30 dias

Ar-condicionado do ônibus que transporta pacientes para Rio Preto e Barretos quebrado, falta de medicamentos e até das tirinhas para o controle da glicemia motivaram uma série de reclamações relacionadas ao setor da Saúde em Fernandópolis. 
Uma delas partiu de dona Áurea, moradora da Cohab João Pimenta. Segundo ela, há tempos não se encontra o medicamento AAS - Ácido Acetilsalicílico -, um analgésico e antitérmico muito conhecido, em sua Unidade de Saúde e nem na Farmácia Municipal.  Já Lúcia, do Jardim Pôr do Sol, reclama da falta do Marevan, que atua na prevenção primária e secundária da trombose. 
Adenir, por sua vez, questiona sobre a falta constante das tirinhas para o controle da glicemia, utilizada diariamente por pacientes diagnosticados com diabetes e pré-diabéticos. 
Porém, a falta de medicamentos não é o pior problema, segundo os usuários da rede pública municipal de saúde. Nilce, moradora do Higienópolis, afirma que as viagens com o ônibus que transporta pacientes para Rio Preto, Cardoso e Barretos, dentre outras cidades, são insuportáveis. 
Isso porque o ar-condicionado do veículo está quebrado já há alguns dias e, como as janelas são lacradas, não há circulação de ar durante todo o trajeto, o que estaria fazendo muitos pacientes passarem mal durante a viagem. 
Procurada, a Prefeitura informou que está trabalhando na regularização dos problemas. Sobre os medicamentos ela afirmou que o AAS já foi adquirido e que aguarda apenas a entrega pela empresa responsável, o que segundo ela se dará em no máximo dez dias. 
Em relação ao Marevan, a informação é de que ele chegou ontem, 24, na Farmácia Municipal e nos próximos dias também deve chegar às unidades de saúde. Sobre as tirinhas para o controle da glicemia a informação oficial é de que já foi realizada a solicitação de 45 mil unidades e a Farmácia Municipal aguarda o departamento de compras fazer o empenho; “entre quinta e sexta-feira desta semana já estará tudo regularizado”, garante a Prefeitura.
Já os pacientes que utilizam do ônibus terão que esperar um pouco mais pela solução do problema. Questionada, a secretaria Municipal de Saúde informou que já tem a autorização para o conserto do ar-condicionado do ônibus. Porém, no momento, o procedimento está em fase de orçamento. 
Para efetuar o serviço, de acordo com a lei, o município precisa solicitar orçamento em três empresas e vence a que ofertar o trabalho pelo menor valor. Para não interromper as viagens dos pacientes, os orçamentos são feitos aos sábados (cada sábado o ônibus é levado em uma empresa). 
Caso o procedimento ocorra normalmente, em cerca de 30 dias o aparelho volta a funcionar no ônibus. 
 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');