“O aedes é o inimigo a ser vencido”, alerta Vigilância

SAÚDE - 07:32:25
“O aedes é o inimigo a ser vencido”, alerta Vigilância

A Vigilância Epidemiológica de Fernandópolis reforçou esta semana o alerta à população para manter atenção máxima ao combate de focos criadouros do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, mais a febre amarela. Com índice de Breteau em 6,6  Fernandópolis declarou estado de alerta para o risco de epidemia de dengue.
“O aedes aegypti é o inimigo a ser vencido”, disse Simone Ruvieri, do IEC – Informação, Educação e Comunicação. Segundo ela, geralmente após um ano tranquilo, sem epidemia, há o natural relaxamento da população e isso pode contribuir para o risco de epidemia das três doenças. Em 2017, a cidade registrou apenas 24 casos de dengue. 
O IB – Índice de Breteau – que mede a infestação do mosquito aedes aegypti mostra que basta chegar à cidade pessoas doentes para disseminar epidemia. Neste período de chuvas, o Ministério da Saúde tolera índice de infestação de até 3, mas o de Fernandópolis é mais que o dobro. 
Aline Furlan, enfermeira da Vigilância Epidemiológica explica que agentes de vetores e agentes comunitários de saúde realizam o trabalho de busca ativa, casa a casa e trabalham incessantemente na orientação da população sobre os cuidados para evitar criadouros em casa.
Atualmente, já foram notificados 21 casos de dengue, mas apenas dois deram resultado positivo. Houve uma notificação de zika, que foi descartado. Chikungunya não houve registro. 
“O agente de vetor passa na residência pelo menos uma vez por mês. Cabe ao morador, fazer a vistoria na residência pelo menos uma vez por semana, para evitar criadouros. Com as chuvas constantes, essa atenção tem que ser redobrada”, diz Aline. 
Os focos criadouros estão dentro das residências, no bebedouro dos animais, ralos de banheiro, vasos com flores e calhas. “Qualquer recipiente que possa acumular água tem que ser mantido em local coberto”, alerta a enfermeira. 
Os casos de dengue ainda estão sob controle na cidade. Desde janeiro foram notificados 21 casos, mas apenas dois deram resultado positivo para dengue. Sete aguardam resultado de exames. Zika registrou um caso suspeito e descartado e chikungunya ainda não teve registro. 
Em todo o ano de 2017, Fernandópolis teve apenas 24 casos de dengue. De zika, o município teve uma confirmação em 2017. A chikungunya atingiu seis pessoas no ano passado.

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');