Polêmica: O fim dos feriados prolongados no serviço público

ARTIGOS - 18:59:16

O prefeito de São João Batista, Santa Catarina, Daniel Netto Cândido, ganhou destaque nacional nesta semana. Ele tomou a iniciativa de baixar decreto cancelando todos os pontos facultativos no município que davam origem aos feriadões prolongados. Permanecem apenas a segunda e terça-feira de carnaval. O prefeito justificou que devido a importância do serviço público contínuo no atendimento às necessidades da população não faz sentido o prolongamento da folga. “Precisamos ter coragem para fazer o que a gestão pública exige de nós”, declarou.

Em Fernandópolis, a proposta de pôr fim aos feriados prolongados por pontos facultativos chegará à Câmara assinada por três vereadores: João Pedro Siqueira, Cidinho do Paraíso e Zarola do Sgotti. A ideia segue o mesmo princípio do prefeito catarinense. Para João Pedro Siqueira, “o vereador precisa legislar para a maioria, não deixando de respeitar o funcionalismo”. Cidinho do Paraíso lembra que já existem muitos feriados e decretar pontos facultativos para fazer a ponte causa prejuízo à população “que precisa do postinho de saúde, da escola e do serviço público em geral”. Citou o exemplo da iluminação pública: “Tem um feriado na quinta, ponto facultativo na sexta. Se a sua rua ficar sem iluminação na quarta-feira à noite, você vai poder ligar na Ouvidoria na segunda-feira e só depois de 72 horas vão resolver o problema, ou seja, vai ficar oito dias no escuro”. 
Os vereadores sabem que vão mexer no vespeiro. O funcionalismo já foi cutucado com o fim do 14º salário, fim do acúmulo de comissões para aumentar salários e endurecimento das regras para ter direito à licença prêmio. “O funcionalismo vai reclamar, mas temos que pensar na população”, diz Cidinho. É bom sempre lembrar que a bancada “chapa branca” é forte. São seis vereadores/servidores e um sétimo que é marido de servidora. Daí que...

Bate pronto

  ANEL VIÁRIO - A Prefeitura de Fernandópolis publicou extrato do contrato firmado com a empresa JR Santa Fé Pavimentação para executar obras de implantação de guias, sarjetas e pavimentação asfáltica do trecho da Avenida dos Ferroviários compreendida entre as Avenidas Amadeu Bizelli até a Avenida Rosalvo Aderaldo. É um trecho pequeno do projeto do Anel Viário que contornaria a cidade pela região sul. O valor da obra, com recursos do governo, é de 261 mil reais. Falta pelo menos mais outro trecho, um pouco maior, para pelo menos completar a ligação com a Avenida Afonso Cáfaro, na antiga e abandonada Estação da Fepasa.

  EMBARGO - O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo embargou a licitação do Transporte Intermunicipal de Passageiros do governo paulista.  A licitação pretendia adequar o atual Sistema de Transporte Intermunicipal de Passageiros do Estado de São Paulo que hoje é operado por 100 empresas, algumas com permissões que já estão com mais de 50 anos. O novo projeto de concessão divide o Estado em cinco áreas de operação, ou seja, cinco lotes a serem licitados, que têm ligações distintas e não competem entre si, Negócio de R$ 2,6 bilhões. Agora é sentar e esperar a burocracia resolver o imbróglio.

  NA FILA – A prefeitura de Fernandópolis também tem concorrências na fila da burocracia. Uma delas, a que implanta o novo estacionamento rotativo no centro da cidade, foi suspensa pelo Tribunal de Contas. Desde setembro, o centro vive o caos sem a Área Azul. Esta semana, em entrevista à Rádio Difusora, o presidente da Associação Comercial, Mateus Morales lamentou a confusão. “Isso causa um prejuízo enorme para o comércio com a fuga de consumidores”. A torcida é para que até o próximo Natal, o novo sistema esteja operando. Para o Dia das Mães em maio, sem chances...

  RAIO X – Passada a onda de fechamento da UPA – Unidade de Pronto Atendimento – que ocupou as manchetes no ano passado, a vereadora Neide Nunes Borges Garcia Gomes está questionando o Executivo sobre quais as providências foram tomadas com relação à aquisição e instalação de aparelho de Raios-X e contratação de técnicos em radiologia para a UPA. Como se sabe, 18 meses após entrar em operação a UPA não conta ainda com o serviço, obrigando a Saúde a manter um transporte permanente de pacientes para o exame de Raio-X na Santa Casa. Quando vai terminar esse pesadelo é a resposta que a vereadora quer saber.

  LATAS VELHAS – A reportagem do CIDADÃO no final da última semana motivou o vereador Júlio César Alves de Carvalho, o Zarola do Sgotti, a reforçar a cobrança da população pela retirada dos cerca de 200 veículos abandonados pela cidade. No requerimento que apresentou, Zarola quer saber quais providências estão sendo efetivamente tomadas com relação aos veículos e carcaças de veículos abandonados nas vias públicas do município, com grave risco à saúde pública, em cumprimento à Lei Municipal nº 1.843/1993, também conhecida como Código Sanitário e de Posturas do Município.

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');