Prefeito e vereador têm mandatos cassados na região

POLÍTICA - 08:21:34
Prefeito e vereador têm mandatos cassados na região

Hery Kattwinkel (PTC) foram cassados em sessões legislativas realizadas nesta segunda-feira, 14. 
O vereador Hery Kattwinkel, de Votuporanga, foi cassado por 11 votos a 3. Ele também perdeu os direitos políticos.  A denúncia contra o ex-vereador foi protocolada no início do mês de fevereiro envolvendo seis partidos políticos, teoricamente ligados ao prefeito de Votuporanga João Dado.  Presidentes dos partidos PP, Solidariedade, PR, PSC, PV e PSD alegaram que Hery infringiu normas da Lei Orgânica do Município de Votuporanga, do Regimento Interno e do Código de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal, quando atuou como advogado o que era vedado para o vereador que faz parte da mesa diretora. 
Na Comissão de Ética da Câmara Municipal de Votuporanga apenas três vereadores votaram na apreciação da denúncia, emitindo parecer favorável à cassação em votação de 2 a 1.  O ex-vereador deve ir à Justiça contra a decisão de também ter perdido os direitos políticos, alegando que não cometeu crime de responsabilidade e não teria causado prejuízos ao erário.  Assume no lugar de Hery, o suplente de vereador Antonio Alberto Casali
Ainda na região, a noite de segunda feira, em sessão que terminou às 22h45, o prefeito de Monte Aprazível teve mandato cassado.  
Por seis votos a três, a Câmara cassou o mandato do prefeito Nelson Montoro (PSD) – foto -  por infração política-administrativa. Ele foi acusado de nomear um assessor condenado por improbidade administrativa para ocupar cargo no Executivo. O vice-prefeito Márcio Miguel já foi convocado para assumir o comando do Executivo.
A sessão durou praticamente 14 horas, sendo iniciada na manhã desta segunda-feira, as 9 horas. A cassação de Montoro, foi declarada pelo presidente do Legislativo, João Célio Ferreira, por volta das 22h45 de ontem. O decreto legislativo com a votação dos nove vereadores deverá ser publicado já nesta terça-feira, 15.
O voto do vereador Danilo César de Souza (Pros) foi considerado decisivo, já que eram necessários seis dos votos para cassar o mandato de Montoro. Sua posição foi considerada um mistério. 
 O presidente da Câmara, João Célio Ferreira, deu o tom político da votação. Ele disse que um grupo de vereadores tentou "conversar" com o prefeito, mas não foi atendido. 
Os advogados de Montoro deverão recorrer à Justiça para tentar reverter a decisão do plenário. Eles classificaram a denúncia como "irresponsável". O prefeito cassado não comentou o assunto.

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');