Família lança vaquinha virtual para Grasiele voltar a andar

CADERNO VIVA - 19:17:06
Família lança vaquinha virtual para Grasiele voltar a andar

A vida é feita de sonhos. Uns sonham em ter um carro novo, outros uma casa nova, um emprego melhor, etc. Já a fernandopolense Grasiele Teixeira Baraldi Freitas, de 32 anos, sonha em um dia poder voltar a andar. Vendo sua luta para realizar esse sonho, sua família decidiu se mobilizar e lançou uma vaquinha virtual. 

A batalha de Grasiele começou há dois anos. Ela começou a sentir fortes dores na região torácica, e após dois dias desceu para lombar. Durante cinco dias ela procurou atendimento médico (10 vezes em apenas cinco dias), chegando a tomar morfina, mas ela apenas foi medicada e nenhum tipo de exame foi realizado. 
Os médicos alegavam que era nervo ciático por conta de sua profissão – ela era manicure. Depois de idas e vindas da Santa Casa, ela enfim foi internada, pois o médico suspeitava que se tratava de pedras nos rins. Ela entrou andando no hospital as 11h e às 19h, quando foi se levantar para ir ao banheiro já não sentia mais as pernas. 
 “Foi o pior dia da minha vida. Eu estava com muita dor, então me aplicaram morfina. Mais tarde pedi para ir no banheiro e minha irmã foi me ajudar, aí nós duas caímos, pois não tinha força nenhuma nas pernas. Foi então que decidiram fazer uma ressonância e constataram um edema na minha coluna.  Ali me vi paraplégica, em uma cadeira de rodas, dependendo de tudo e de todos”, contou Grasiele.    
Ela então foi transferida para o Hospital de Base de São José do Rio Preto onde foram feitos todos os exames necessários e descobriram um abscesso de pus em sua medula, sendo imediatamente encaminhada para cirurgia. 
“Após cirurgia fiquei internada mais 24 dias para tomar antibióticos. Após alta não tinha nem a sustentação do meu tronco, onde comecei imediatamente com as fisioterapias, hidroginástica. Somente depois de 6 meses que consegui me sentar. Com o suporte de ortes, lona estensora, e andador consegui ficar em pé e dar alguns passos”, completou. 
Mas foi quando ela conseguiu dar os primeiros passos e tudo parecia estar voltando ao normal, sua vida virou novamente de ponta cabeça. A doença acabou deixando sequelas e ela passou a ter muitos espasmos o que travou sua evolução na fisioterapia e consequentemente seu sonho de voltar a andar. 
“Meu mundo desabou novamente. Após uma consulta médica recebi a notícia que preciso de uma cirurgia para colocação de uma bomba de baclofeno, para que a médica vá diretamente para medula, pois a medicação via oral não está surtindo efeito, estou tendo muitos espasmos. O custo da cirurgia é muito alto R$127 mil, onde apenas o teste para saber se vai fazer efeito é de R$5 mil e não temos a mínima condição”, disse. 
Grasiele sempre trabalhou. Ela era manicure quando tudo aconteceu, mas mesmo tendo contribuído com a previdência, ainda não conseguiu o auxílio doença. Sendo assim, a única renda da família é o salário de seu esposo Luis, que mal dá para cobrir o aluguel, as despesas da casa e as sessões de fisioterapia. 
Vendo esse drama, a família de Grasiele então decidiu agir e lançou uma vaquinha virtual para angariar doações. Quem quiser contribuir pode acessar o site www.vakinha.com.br e digitar “Ajude a Grasiele a realizar a cirurgia” na ala de busca. É possível contribuir com qualquer valor mediante boleto bancário, cartão de crédito ou até Bitcoin. 
“O médico disse que não posso demorar para fazer a cirurgia, pois quanto mais eu demoro mais difícil minha recuperação. Estamos tentando via SUS por meio de uma ação judicial, mas além de muito demorado não sabemos se conseguiremos. Enquanto isso estou aqui na luta para tentar me recuperar, pois meu maior sonho é voltar a andar”, concluiu Graziele. 
O link para quem quiser contribuir: clique aqui

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');