O outubro é rosa, mas também é o mês de conscientização sobre doenças reumáticas

CADERNO VIVA - 19:48:22
O outubro é rosa, mas também é o mês de conscientização sobre doenças reumáticas

Outubro é nacionalmente conhecido como o mês de conscientização das mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Porém, tão importante quanto e ainda pouco conhecida é outra campanha que também ocorre neste mês e que trata de uma doença que afeta boa parte da população brasileira: o famoso reumatismo. 

De acordo com a médica reumatologista fernandopolense Paula Miguel Lara Mussi, as doenças reumáticas não atingem apenas pessoas idosas, acometem também homens e mulheres, adultos, entre 40 e 50 anos, além de jovens e crianças. 
Ainda segundo ela, o grupo de doenças reumáticas engloba cerca de 100 tipos de enfermidades que afeta as articulações, sendo a Artrite Reumatoide (AR) a mais conhecida e três vezes mais comum em mulheres do que em homens.
“A artrite reumatoide é uma doença autoimune crônica e debilitante que afeta uma população estimada de 23.7 milhões de pessoas em todo o mundo, na qual o organismo erroneamente ataca as juntas saudáveis causando incapacidade para realização de algumas atividades comuns do dia a dia”, explicou a especialista.  
Trata-se de doença inflamatória crônica que pode afetar várias articulações do corpo, acometendo principalmente mãos, pés, punhos e joelhos, de forma bilateral e simétrica.  Os principais sintomas da artrite reumatoide são: dor, edema, calor e vermelhidão no local. Também é comum ter rigidez matinal prolongada. Alguns pacientes relatam ainda sintomas constitucionais associados, como fadiga e perda de peso. 
A causa exata da manifestação da artrite reumatoide, assim como a maioria das doenças reumáticas, segundo a médica, é desconhecida. “Acredita-se que indivíduos predispostos geneticamente, a partir de uma situação externa, de estresse ou algum quadro infeccioso, passe a manifestar a artrite”, completou.
Ainda segundo a especialista não existe alguma forma de prevenir as doenças reumáticas, mas sim uma mudança comportamental que pode auxiliar no tratamento, caso a doença se manifeste. 
“O diagnóstico é feito por meio do exame físico realizado pelo médico especialista, associado a alguns exames laboratoriais. O tratamento adequado deve ser instituído precocemente para se prevenir as deformidades articulares associadas à evolução da doença. Não existe até o momento uma forma de prevenção, porém sabe-se que um estilo de vida saudável, como a prática regular de atividade física, alimentação saudável e peso adequado auxiliam o tratamento caso a doença se manifeste”, explicou. 
O alerta a população é importante, pois o diagnóstico, segundo Paula Mussi, muitas vezes ocorre com atraso de mais de cinco anos, já que a doença pode se apresentar em surtos de branda intensidade. Quanto mais cedo se inicia o tratamento, melhor a qualidade de vida do paciente.
“Por tratar-se de doença autoimune, não existe cura até o momento. Todavia, existem disponíveis no mercado inúmeras medicações indicadas para o controle da doença e consequentemente prevenção das deformidades articulares. O foco principal do tratamento é devolver ao paciente a capacidade de locomoção, alívio da dor e melhora da qualidade de vida”, concluiu Paula Miguel Lara Mussi.

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');