Devagar, mas está melhorando

ARTIGOS - 19:07:00

Fernandópolis registrou saldo positivo de 54 empregos com carteira assinada em setembro, resultado 498 admissões e 444 demissões. O saldo acumulado do ano sobe para 706 postos de trabalho abertos, (4.835 contratações e 4.129 demissões). Esse saldo é o melhor resultado em setembro nos últimos cinco anos. Os dados são do Caged - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados -, do Ministério do Emprego e Trabalho, divulgado na segunda-feira, 22.

Em setembro, o setor que impulsionou o desempenho positivo foi o da indústria de transformação que registrou saldo positivo de 49 empregos, resultado de 121 contratações e 72 demissões. Construção civil e serviços, que haviam impulsionado o emprego em agosto, apresentaram desempenho praticamente nulo em setembro. Na construção o saldo também foi positivo, mas apenas de 8 postos de trabalho. Já Serviços, teve resultado negativo (-3). O comércio voltou a registrar desempenho negativo, ou seja, demitiu mais do que contratou (saldo de -5).
O que sobressai no desempenho econômico de Fernandópolis nos nove meses do ano, de janeiro a setembro, é o saldo acumulado de 706 vagas abertas. Esse saldo é o melhor resultado acumulado nos últimos cinco anos no mês de setembro. Em 2017, eram 203; 2016, 86; 2015, -201; e 2014, 409, resultado do saldo entre admissões e demissões. O ritmo é lento, mas os sinais são de melhora.

Bate pronto

  BAIXA NA EQUIPE -  O prefeito André Pessuto sofreu mais uma baixa na equipe. O secretário de Obras da Prefeitura de Fernandópolis, Arthur Höppner, pediu exoneração do cargo. Segundo a secretaria de Comunicação da Prefeitura, ele oficializou na quinta-feira o pedido de demissão, situação que já era do conhecimento da administração. Höppner morava em Tanabi e todo dia fazia o bate-volta até Fernandópolis, o que era desgastante. Além disso, ele disse que precisa reativar alguns projetos pessoais e que não estava sendo possível compatibilizar o tempo com a prefeitura. O secretário de Comunicação Paulo Boaventura relatou ainda que “o principal objetivo Höppner foi cumprido na prefeitura, que era o de reativar projetos que estavam parados desde outras gestões, além de engatilhar novos projetos”. De acordo com Boaventura, nos próximos dias, o prefeito André Pessuto deve anunciar o novo secretário de Obras do Município. É a terceira baixa nestes quase dois anos de governo. Antes deixaram os postos, Flávia Resende na Educação e Ângelo Veiga no Meio Ambiente.


  COFFEE BREACK – O caso do Coffee Break gerou grande desgaste para a administração do prefeito André Pessuto no ano passado, com a dotação de cerca de R$ 700 mil para contratar uma empresa especializada no fornecimento de coffee breaks para as secretarias municipais, conforme reportagem do CIDADÃO. De acordo com o Portal Transparência, a prefeitura gastou, efetivamente, cerca de R$ 70 mil neste ano. Por isso, ao reabrir o processo de licitação, tipo pregão, para nova contratação nos próximos 12 meses, a prefeitura foi mais comedida e reservou dotação de R$ 160 mil para garantir salgadinhos, suco e guloseimas nos eventos municipais. Pregão marcado para 7 de novembro, às 10h30.


  EM QUEDA – A Secretária da Segurança Pública do Estado divulgou relatório das ocorrências de violência no Estado. Fernandópolis registra queda em vários índices. Furtos, por exemplo, de janeiro a setembro foram 404 ocorrências contra 615 no mesmo período do ano passado. Recuo de 39%. Queda também nos furtos de veículos, roubos, acidentes de trânsitos, estupros. A lamentar o aumento de 22% de mortes no trânsito e de dois latrocínios (roubo seguido de morte) neste ano. Outro dado do relatório: Fernandópolis completou ontem 671 dias sem registro de homicídio doloso (com intenção de matar). O relatório ainda aponta o registro de 123 ocorrências de tráfico de entorpecentes na cidade de janeiro a setembro.

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');