Hemonúcleo faz campanha e apela para consciência dos doadores

CADERNO VIVA - 19:35:01
Hemonúcleo faz campanha e apela para consciência dos doadores

25 de novembro é o Dia Nacional do Doador de Sangue. Para marcar a data e estimular a doação de sangue, o Núcleo de Hemoterapia de Fernandópolis promove a Semana do Doador de Sangue, de 26 a 30 de novembro na expectativa de conseguir coletar pelo menos 400 bolsas para melhorar a situação do estoque que é crítica.

Na expectativa de ganhar uma camiseta da Semana do Doador, muitos doadores adiaram a ida ao banco de sangue. “A gente precisa colher pelo menos 30 bolsas por dia. Nos últimos dias, estamos colhendo 12, 11, 9  bolsas. A situação é crítica. Eu me formei há 45 anos e é sempre essa luta. Falta consciência das pessoas para a importância da doação de sangue. Se acontece um acidente com um jovem, enche de gente para doar sangue. Mas, as emergências não marcam dia, nem hora. Não queremos um acidente para ter doadores aqui”, diz a médica Brígida do Amaral Botelho Prudêncio, diretora do Hemonúcleo. 
De acordo com a médica a situação vai mudar, quando as crianças forem educadas para a importância da doação de sangue. “Nossa população não é educada para isso. Existem muitos trabalhos comprovando, por exemplo, que na Alemanha, na Inglaterra, na Europa, quando foram entrevistar doadores para saber por que eles doavam a resposta foi: porque o meu pai doava. Aquele pessoal viveu uma grande guerra e todo mundo ia doar sangue e levava os filhos, que foram tomando consciência. A gente aqui também estimula para que os pais tragam os filhos, que eles olhem isso. Acredito que é um trabalho que tem que começar na escola. Não se ensina a meninada a respeitar o sinal de trânsito? Para resolver esse problema da doação de sangue é preciso começar na escola e isso é de longo prazo”, reforça. 
Para atingir a meta de 400 bolsas, o Núcleo precisa receber uma média de 80 doadores por dia durante a semana. O horário de atendimento aos doadores é das 8 às 17 horas, de segunda a sexta-feira, exceto na quarta-feira, quando o atendimento se estende até às 18 horas. No sábado, abre das 8 às 12 horas. 
Para fazer a doação, os requisitos básicos são: pesar acima dos 50 quilos, ter de 18 a 69 anos, estar em bom estado de saúde e ter se alimentado bem. Jovens de 16 e 17 anos podem doar sangue, mas para isso precisam estar acompanhados por responsável e portar documentos. 
Na entrada do Hemocentro tem um banner com os impedimentos para doação de sangue que não são poucos. Quem passa, por exemplo, por endoscopia fica impendido por seis meses de doar, assim como quem coloca piercing ou faz tatuagem fica impedido por um ano.
“Temos que zelar pela qualidade do sangue.  É por isso que pedimos sempre que a pessoa que recebe uma doação traga mais doadores do que a quantidade de sangue que recebeu. Se precisou de uma bolsa, tem que trazer três doadores. Por que reprova na entrevista, na sorologia e naquela lista de impedimentos. Então, de tudo que entra, a gente tem uma peneira interna. Para se conseguir uma bolsa adequada, nós passamos por longos processos. As reprovações ocorrem por diferentes razões, um porque teve gripe, outro que tomou vacina, pulou a cerca, toma remédio, outro porque vai arrancar dente. Nós temos que garantir a saúde do doador, a qualidade do sangue que vamos utilizar e isso exige uma peneira muito fina. Então, temos que ter gente na porta para doar”, explicou a médica.

 

 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');