Petição Pública contra IPTU já tem apoio de 1,6 mil fernandopolenses

POLÍTICA - 08:08:33
Petição Pública contra IPTU já tem apoio de 1,6 mil fernandopolenses

O ano começou e, de novo, o carnê do IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano -  está no centro da polêmica em Fernandópolis. Depois da correção em 2018 por conta da atualização da Planta Genérica de Valores, agora os fernandopolenses foram surpreendidos pela correção da taxa do lixo que elevou o valor final no carnê que está chegando às casas dos fernandopolenses.

A correção da taxa de lixo foi feita através de decreto assinado pelo prefeito André Pessuto e que impõe também a correção da CIP – Contribuição de Iluminação Pública, que é cobrada na conta de luz para os imóveis e no carnê de Imposto para os lotes baldios.

A chegada dos carnês provocou nova onda de protestos nas redes sociais e levou ao lançamento de uma petição pública que até a manhã de hoje, 3, já tinha obtido a assinatura de 1,6 mil fernandopolenses. O número de assinaturas se altera a todo instante.

O texto que lançou a petição pública ao Ministério Público diz que “nos últimos anos o IPTU teve reajuste médio de 5 a 10%. No entanto, ao receber o carnê de 2018 os moradores se indignaram com o aumento de até 100% em Fernandópolis. Com a explicação do Secretário de Gestão do município dizendo que os valores dos terrenos estavam defasados e houve a necessidade de recalcular. ‘Desde 1984 não tínhamos atualização da planta genérica. Havia casas de padrão inferior pagando mais ou menos o mesmo valor de casas de alto padrão e com boa estrutura’. Como se não bastasse, as dificuldades em pagar por tal aumento do imposto de 2018, em 2019 não será diferente, quem já recebeu os carnes se deparou com mais um abuso da gestão pública de Fernandópolis, como é o caso do contribuinte Reginaldo, autônomo, que tem um terreno na Rua Yamara Castilho Santo no Bairro Maria Nazaret que em 2017 pagou R$205,00 em 2018 teve que desembolsar R$288,00 aumento de 40% e em 2019 terá que pagar R$443,00 ou seja, em 2 anos terá que pagar por um aumento de 116%. 
Nas mídias sociais o relato desses aumentos é generalizado, causando indignação aos contribuintes que sofrem com a administração atual que clama por uma solução e muitas das vezes não sabem a quem recorrer. Por este motivo recorre a este meio para uma providencia”, diz o documento que é endereçado ao Ministério Público do Estado de São Paulo que pode ser acessado no link https://peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR109857.

Na manhã de quarta-feira, 2, um grupo de fernandopolenses esteve defronte o Paço Municipal para protestar, mas encontrou o prédio fechado, já que a prefeitura retorna as atividades normais nesta quinta-feira, 3. Uma nova manifestação foi agenda para esta sexta-feira, 18 horas, na Praça da Matriz.

A moradora Judite Albanez do Jardim Progresso participou do programa Rotativa no Ar da Rádio Difusora nesta quarta-feira, 3, para manifestar indignação que teve como alvo o prefeito André Pessuto. “O que o prefeito está fazendo com nós? Não tem cabimento, meu marido é aposentado e não ganha para pagar esse imposto que veio”, disse. Segundo ela, o carnê chegou com uma conta superior a mil reais. Nas redes sociais são vários os protestos de contribuintes contra mais esta correção no carnê do IPTU.

O decreto assinado pelo prefeito, elevou a taxa de lixo para R$ 2,48 por metro quadrado de construção. A outra novidade para a maioria dos fernandopolenses virá na conta de luz a partir deste mês.  A CIP – Contribuição de Iluminação Pública - sobe de R$ 9,82 para R$ 11,32.

Por conta do feriado, a prefeitura não se manifestou oficialmente sobre a nova polêmica.

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');