Câmara cobra e prefeito diz que não volta atrás no aumento da taxa de lixo

POLÍTICA - 15:15:41
Câmara cobra e prefeito diz que não volta atrás no aumento da taxa de lixo

A assessoria de comunicação da Câmara de Fernandópolis distribuiu nota no início da tarde para ressaltar o posicionamento dos vereadores sobre a polêmica do aumento da taxa de lixo que impactou o IPTU deste ano e está gerando uma onda de protestos na cidade e nas redes sociais.

Após a pressão da população nas redes sociais, os vereadores decidiram tomar posição e afirmam que estão solidários e indignados com o aumento que também taxaram de abusivo Os vereadores fizeram questão de enfatizar que não tinham conhecimento da medida e atribuíram a responsabilidade exclusiva ao prefeito André Pessuto que tomou a iniciativa por decreto.

De acordo com a nota emitida pela Câmara na reunião os edis se mostraram contrários ao aumento que em alguns casos ultrapassou os 100%, e foram informados pelo prefeito e sua assessoria que o aumento se deu devido a apontamentos do TCE-SP.

“Não concordamos com este aumento abusivo na taxa de lixo, que foi o que acabou elevando tanto a cobrança do IPTU deste ano. Fomos pegos de surpresa assim como a população, pois não sabíamos do decreto assinado em novembro pelo prefeito elevando o valor da taxa de lixo de R$ 1,29 m² em 2018 para 2,48 m², pois nenhum projeto foi enviado à Câmara, e sim toda a decisão partiu do Executivo”, explicou o presidente da Câmara Ademir de Almeida.

Durante a reunião com os vereadores o prefeito André Pessuto, deixou claro que não voltará atrás em relação aos valores cobrados. Os vereadores chegaram a solicitar do prefeito uma revisão nos valores da taxa de lixo, porém sem sucesso.

Após a reunião com Pessuto, o presidente da Câmara Ademir de Almeida, convocou uma reunião com os vereadores, onde estiveram presentes 12 deles, estando ausente somente o vereador Antonio Finotto, por não se encontrar na cidade. Durante a reunião ficou decidido que os vereadores estão à disposição da população para tentar amenizar o problema. “Estamos aqui solidários à população, pois também estamos indignados com tamanho aumento no valor final do IPTU, sabemos que o grande vilão foi o decreto que estipulou em R$ 2,48 m² para a taxa de lixo, e isto não tem nada a ver com a Câmara, mas mesmo assim estamos tentando alguma solução para o problema, em um primeiro momento o prefeito se mostrou irredutível na revisão, mas vamos continuar insistindo em favor da redução em prol a população”, finalizou Ademir de Almeida.

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');