Prefeito cassado há um mês pelo TSE continua no cargo em Meridiano

POLÍTICA - 08:22:54
Prefeito cassado há um mês pelo TSE continua no cargo em Meridiano

A cidade de Meridiano, que pertence à Comarca de Fernandópolis, permanece em suspense político. Mais de um mês após a decisão do TSE – Tribunal Superior Eleitoral – cassando o mandato do prefeito Orivaldo Rizatto (PSDB) e a vice, Márcia Adriano (PTN), ambos continuam no cargo. A notificação da decisão da mais alta Corte da Justiça Eleitoral, tomada em 12 de fevereiro, ainda não ocorreu. 
A expectativa na cidade é que Rizatto e vice sejam notificados nos próximos dez dias e deixem o cargo. Quando isso ocorrer, o presidente da Câmara Maicon Fabiano de Oliveira (Podemos) assumirá interinamente o cargo até a realização de eleição suplementar para escolha do novo prefeito para o mandato tampão. 
Em 2016, a eleição em Meridiano foi decidida por oito votos. Val Rizzato obteve nas urnas 1.658 votos (50,1%), enquanto Helena Torrente, esposa do ex-prefeito José Torrente, obteve 1.650 votos (49,9%). 
Enquanto em Meridiano, os eleitores aguardam a mudança no Executivo, eleitores de outra cidade da região, Macaubal, perto de Nhandeara, elegeram no domingo, o novo prefeito da cidade, Wanderlei Melhado Guizzi (PSDB). 
A nova disputa foi determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), com base em decisão que cassou o então prefeito João Florêncio Neto (PSDB), eleito em 2016. Neto foi cassado pela Câmara no ano passado acusado de cometer ato de improbidade administrativa.
Wanderlei foi eleito com 1.663 votos, o que corresponde a 39,99% dos votos válidos. Ele disputou a eleição com mais dois candidatos, Acácio Ferreira (PV), que recebeu 1.275 votos (30,66% dos votos válidos), e Rosicler Maria Peixoto (PTB), que teve 1.221 votos (29,36%).

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');