Concorrência para o novo Paço é adiada para o dia 2

ARTIGOS - 19:05:23

A Prefeitura remarcou para o dia 2 de maio a abertura dos envelopes da concorrência destinada a contratação de empreiteira que executará as obras de adequação do atual Terminal Rodoviário de Passageiros para ser o novo Paço Municipal. A abertura estava programada para última quinta-feira, 25.

O adiamento decorreu, segundo a prefeitura, de questionamento sobre o tipo de fundação adotada no projeto. Dada a exiguidade do tempo para a resposta à empreiteira, houve a decisão de remarcar a data para daqui a uma semana.
No esclarecimento ao questionamento, a prefeitura informou que contratou empresa especializada para realizar uma sondagem na área do atual terminal. O projeto inicial trabalhava com a sondagem realizada pela empreiteira Engerb, que está construindo o novo terminal na mesma área, que apresentava solo instável e com presença de água. A nova sondagem realizada pela empresa OKM Geologia no dia 17 de abril, comprovou um solo com presença de água na profundidade mais crítica de 3,83 metros e pouca resistência nos primeiros cinco metros. 
O laudo geológico levou a prefeitura a optar por um tipo de fundação mais adequada ao fato de que a obra, em questão, é a adequação de um prédio que possui cobertura metálica tipo espacial e não permite utilização de equipamentos altos previstos em outros tipos de fundação. 
Dirimida as dúvida, a concorrência, na modalidade menor preço global, será então encerrada na quinta-feira, 2, com abertura das propostas das empreiteiras candidatas às 9 horas no Paço Municipal.  
O valor reservado para a obra é de R$2,6 milhões oriundos de um empréstimo que o município fez junto ao Finisa - Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento - da Caixa Econômica Federal. 

Bate pronto

  GOVERNO QUE NÃO TERMINA II – O ex-prefeito Luiz Vilar está fora da prefeitura há mais de 6 anos, mas ainda não conseguiu se livrar dos imbróglios administrativos da gestão. O juiz da 2ª Vara Cível de Fernandópolis, Heitor Katsumi Miura, determinou bloqueio de R$ 10 mil em contas do ex-prefeito. A decisão atende pedido do Ministério Público que acusa Vilar de ato de improbidade administrativa por irregularidades no Consórcio Intermunicipal Pró-Estradas São José dos Dourados, grupo que reunia prefeitos das regiões de Fernandópolis e Votuporanga. Vilar era presidente e teve gastos julgados irregulares pelo Tribunal de Contas.


  DESCONFIANÇA – A nota publicada na Coluna do Diário de quinta-feira, mostra o tamanho da desconfiança no anúncio do governo do Estado sobre a implantação de linha aérea em Votuporanga a partir do segundo semestre. Diz o colunista: “Quem conhece um pouco de tráfego aéreo na região desconfia da viabilidade da linha aérea que a Passaredo irá criar em Votuporanga com seis voos semanais para Ribeirão Preto, mesmo com poucos lugares na aeronave (68). Acha que a ideia não vai longe e que a companhia só quer agradar o governador João Dória (PSDB)”. O deputado Carlão Pignatari, líder do governo, contesta e diz que “30% das pessoas que embarcam em Rio Preto passam por Votuporanga”. A conferir...


  RECEITA VINCULADA – Quando retornar com sessões no dia 7 de maio, a Câmara deve apreciar, entre outros projetos, o que trata da vinculação da receita da Zona Azul de Fernandópolis para cobertura das despesas, com o pagamento das parcelas provenientes da contratação do financiamento de R$ 20 milhões que a Câmara autorizou o prefeito a contratar junto a Caixa para recapeamento, asfalto novo e compra de maquinas e veículos. No encaminhamento do projeto, o prefeito aponta que a vinculação, sugerida pelos vereadores, garante “o pagamento das parcelas referentes ao financiamento por parte desta Administração e das futuras sem comprometer o orçamento do Município, visto que, a Concessão Onerosa de Gestão da Exploração da Zona Azul tem vigência de dez anos, podendo ser renovado por mais 10”.

 

Claudemir Cabreira

Claudemir Cabreira

Jornalista. 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');