O sorriso que iluminou a Corrida Histórica

CADERNO VIVA - 17:55:03
O sorriso que iluminou a Corrida Histórica

A 3ª Corrida Histórica de Fernandópolis, no dia 18, não foi sucesso apenas pelo número recorde de inscritos. Foi além. Foi a prova, cuja maior vitória foi a da inclusão, revelando a face mais bela da superação. “Foi fenomenal”, resumiu o diretor da Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura André Campos. 

Entre as centenas de atletas que cumpriram o percurso da prova pela Avenida Líbero de Almeida Silvares, alguns personagens brilharam na corrida da superação. Entre eles, o pequeno Davi Gomes de Campos que inundou a avenida com seu sorriso. Conduzido pelo atleta da Afercan - Associação Fernandopolense de Ciclismo, Atletismo e Natação -  Guilherme Setemo Sentinello em uma cadeira especial, Davi foi pura emoção. O seu sorriso iluminou a Avenida Líbero de Almeida Silvares. 
“Ano passado em junho já havia corrido com ele na prova da TV Tem, o Tem Running. Foi uma experiência maravilhosa e ali me apaixonei por ele, sua alegria e força de vontade me motivaram muito naquela minha primeira experiência conduzindo alguém em uma corrida”, contou Guilherme, que no ano passado na Corrida Histórica da cidade conduziu o Neto Veterinário de Fernandópolis.
Mas, quem é o menino que encantou Fernandópolis? Sentinello conta: “Conheci o Davi através de amigos, que o conheciam do Lucy Montoro (Centro de Reabilitação) onde ele é atendido. É uma criança muito especial, inteligente, com muita força e alegria, cativa e conquista a todos ao seu redor. Tem nove anos, mora em Votuporanga, ele tem paralisia cerebral (nasceu prematuro). A mãe e a avó, que sempre o acompanham, o amam imensamente”.
Segundo Guilherme, logo que ficou sabendo a data da prova de Fernandópolis, conversou com a mãe de Davi e se eles poderiam estar aqui no dia da prova. Ela garantiu que viria. “Fiz todo o trâmite, a minha inscrição e a dele, pra ele também ter direito a todo o kit da corrida, como todos os corredores que ali estavam. A partir daí, foi só a ansiedade que aumentava pra chegar logo o dia da corrida e poder desfrutar dessa alegria, força e aprendizado que ele proporciona, não só a mim, mas a todos ao seu redor”, relatou o atleta.  
O corredor se emociona ao relembrar a prova com Davi no último sábado. “Durante a corrida, hora nenhuma ele ficou quieto, sempre gritando, batendo palmas, incentivando todos os atletas que passavam por nós, sem contar o quanto ele me motivava e incentivava. O momento mais marcante durante a prova foi quando ele virou pra mim e disse: o Gui, abre a passada que gente vai ultrapassar mais um. Poder ver a alegria dele cruzando a linha de chegada e todos o aplaudindo, não há palavras pra descrever”.
O final da corrida ainda reservava momentos ainda mais emocionantes.  “A hora do pódio, com o troféu que ganhou, o pessoal todo gritando é Campeão e ele numa felicidade imensa, foi impossível segurar as lágrimas. Ali foi o ápice de uma tarde maravilhosa e inesquecível, tanto para mim, quanto para o Davi e seus familiares”, escreveu Guilherme em mensagem ao CIDADÃO.
Quem participou da prova foi envolvido também pela emoção. “Quando alcancei eles (Guilherme e Davi), vi a alegria naquele menino, que estava se divertindo muito e o Guilherme ali firme fazendo um grande esforço. Cara, parabéns pela sua atitude, pode ter certeza que você mudou a vida dessa criança. Eu vi nos olhos dele a alegria e a gratidão por fazer parte da corrida”, escreveu nas redes sociais Luiz Fernando Cabreira homenageando Davi e Guilherme. 
Guilherme nasceu em Estrela d´Oeste, mas adotou Fernandópolis em 2005 quando veio estudar. Hoje é um dos contadores da prefeitura. Começou a praticar corrida e ciclismo há cerca de quatro anos, motivado por amigos.  Hoje faz parte da Afercan em busca de vida mais saudável. “Vou pra competições, não pra ganhar de ninguém, mas sim pra me superar sempre”, diz. Guilherme já disputou cinco maratonas em São Paulo (2), Porto Alegre, Uberlândia e Santa Catarina. 
Para o atleta, que se realizou na corrida com o Davi no sábado, 18, praticar esporte, seja corrida de rua, ciclismo, é uma forma de aliviar o estresse, fazer amigos e ter uma vida saudável. 

MAIS EXEMPLOS DE SUPERAÇÃO

Além de Guilherme e Davi, a Corrida Histórica de Fernandópolis reuniu outras histórias emocionantes e marcantes. Ricardo Henrique Lima Ramos, é atleta deficiente visual da ADVF – Associação dos Decificientes Visuais de Fernandópolis. Ele correu a prova tendo como guia André Mastrocola. 
Suelen Mechi, também percorreu os 6k da prova. A deficiência visual foi superada com o apoio do marido e guia Diorgenes Onhibene. Nestes dois casos, os guias foram os olhos dos atletas. 
E não poderia faltar a alegria contagiante de dona Dozolimar Azadinho, 86 anos, que fez questão de participar da prova da caminhada na cadeira de rodas com o apoio da filha e genro, Ângela Azadinho e Adilson Campos.


Os vencedores 
da Corrida Histórica

A “3ª Corrida Histórica de Fernandópolis” mais uma vez foi um dos marcos da programação de aniversário do município atraindo grande público e 400 atletas para a avenida Líbero de Almeida Silvares, no último sábado, 18.
“Ficamos muito satisfeitos com a participação de público e atletas neste evento tão importante para nós da Secretaria Municipal de Esportes. Quero destacar e agradecer a toda a equipe de trabalho que se empenhou com muita dedicação para que tudo desse certo”, destacou o secretário municipal de Esportes, Juracy Rossato Júnior (Dunga).
A Corrida Histórica foi realizada pela Prefeitura de Fernandópolis, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, com apoio da Afercan - Associação Fernandopolense de Ciclismo, Atletismo e Natação -, ALCER, Tiro de Guerra, Sabesp e de patrocinadores.

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');