Bastidores

ARTIGOS - 17:07:33

A PRIMEIRA...

“estação rodoviária” de Fernandópolis, que o colunista conheceu quando aqui chegou em1965, funcionava na Rua São Paulo, entre as avenidas 7 e 8, endereço que hoje abriga as instalações do Bradesco.

MUITO...

acanhada, a “rodoviária” vivia uma um sistema operacional que contemplava tão somente os interesses de alguns comerciantes ali instalados, com lotérica, farmácia e um monte de bazares. Os passageiros não dispunham de nenhum conforto.

PERCY...

Waldir Semeghini, prefeito, sentiu o drama e resolveu planejar um novo local. Trouxe de São Paulo um empreendedor cheio de charme para construir a nova rodoviária, que, com parcos recursos, buscou sócios capitalistas em Fernandópolis. Aos trancos e barrancos, e com prejuízos a um investidor local, a obra foi construída na Avenida 2, hoje Mercadão Municipal.

O PROGRESSO...

de Fernandópolis cobrava um projeto compatível com seu desenvolvimento. Foi aí, então, que o prefeito Milton Leão, com espírito descentralizador (como fizera com a construção da Fundação – “no mato” - como criticavam os adversários), meteu a cara, definiu novo ponto, contraiu empréstimo bancário, fez licitação e deu início a obra. Fez a cobertura, mas por exigüidade de tempo (fim do mandato), coube ao sucessor Newton Camargo a construção das divisórias e obras complementares.

NA...

 proposta de um novo local para embarque e desembarque de passageiros, estava embutido o desejo expansionista, ou seja, de incrementar a valorização de um novo setor da cidade, recaindo a escolha no bairro Boa Vista. Estava nascendo o Novo Terminal Rodoviário de Passageiros, que mais tarde viria a homenagear o fernandopolense Antônio Nossa.

O PREFEITO...

André Pessuto valeu-se de empréstimo de R$ 2,6 milhões, fez e inaugurou quinta-feira o novo terminal, ocupando pouco mais de 5 mil metros quadrados, localizado na Avenida Angelo Del Grossi, aproveitando espaços do mesmo terreno, entre as ruas Porto Alegre e Maria Batista.

 DE...

 10 comerciantes na cercania, ouvidos por CIDADÃO, oito aprovaram a obra, um aprovou com ressalvas e outro criticou a construção. Todos preferiram não gravar entrevista. O proprietário de uma borracharia que fica na esquina do novo terminal disse que as obras prejudicaram sua empresa, já que o fechamento da rua acabou espantando os clientes. Ele disse também que a obra não era necessária, pois o antigo terminal já supria as necessidades, porém torce para que após a conclusão dos serviços o movimento melhore.

JÁ...

 o proprietário de uma empresa de refrigeração acredita que os recursos poderiam ser mais bem aproveitados, porém achou a obra bonita. O responsável por uma empresa de lubrificantes elogiou muito o novo Terminal e disse que acredita que após a inauguração a região deve ficar mais movimentada, o que irá valorizar os pontos comerciais no entorno do novo prédio.

 

SEGUNDO...

o prefeito, a transferência da sede do município para o prédio adaptado do Terminal Rodoviário permitirá à prefeitura reduzir despesas com aluguéis de prédios que abrigam secretarias e departamentos e, ao mesmo tempo, amortizar a dívida com o Iprem, já que o atual Paço da Rua Bahia será repassado ao instituto de previdência. Medida certa? O tempo dirá.

 

 

 

Alencar Cesar scandiuzi

Alencar Cesar scandiuzi

Jornalista e Radiodifusor

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');