Sarampo põe Fernandópolis entre as cidades com maior número de casos no Estado

GERAL - 19:56:05
Sarampo põe Fernandópolis entre as cidades com maior número de casos no Estado

No balanço divulgado esta semana pela Secretaria Estadual da Saúde sobre os casos de sarampo no Estado até 31 de julho, Fernandópolis aparecia em quarto lugar entre as cidades com mais casos no Estado, atrás apenas da capital (778 casos), Santos (23) e Guarulhos (22). Neste balanço, a cidade aparecia com 21 casos confirmados da doença. Só que esses números já estão desatualizados. A Secretaria Municipal de Saúde de Fernandópolis confirmou mais seis casos esta semana e elevou a contagem para 27 casos. 

Fernandópolis também apareceu em uma lista divulgada, também nesta semana, pelo Ministério da Saúde, entre as 43 cidades brasileiras com surto ativo de sarampo. 
“O município de Fernandópolis foi um dos primeiros do estado de SP a identificar através de exames os casos suspeitos e confirmar os casos positivos de sarampo. A inclusão do município na lista era prevista e natural. Nos próximos dias, essa lista deverá sofrer alterações com a inclusão de muitos outros municípios brasileiros que também começaram a confirmar casos”, disse a Secretaria Municipal de Saúde de Fernandópolis em nota encaminhada ao CIDADÃO.
Na mesma nota, foram confirmados até quinta-feira, 8, 27 casos da doença e 30 em fase de investigação, o que indica que o número pode subir nos próximos dias. “Fernandópolis também foi um dos primeiros municípios a iniciar os bloqueios. Assim, quando identificados os primeiros casos, já foram feitas ações em algumas escolas da Rede Municipal e, nos meses de julho e agora em agosto, estão sendo feito bloqueios nos bairros. Os agentes vão de casa em casa, explicam a importância de se manter a carteirinha de vacinação em dia e aplicam a vacina nos moradores do imóvel”, enfatizou a nota.
De acordo com a Saúde, não existe um perfil definido dos 27 casos de sarampo confirmados até agora.  “Tivemos casos de crianças pequenas a idosos, porém, todos passam bem”, apontou. 
A Secretaria de Saúde conclui a nota enfatizando a “importância da população sempre visitar a UBS mais próxima de sua casa levando a carteira de vacinação, para que o profissional de saúde possa verificar se ela está em dia”.
Fernandópolis foi a primeira cidade da região a registrar casos de sarampo. Hoje a doença já apareceu em Jales, Rio Preto e Estrela d´Oeste. Em todo o Estado, até 31 de julho, foram confirmados 967 casos da doença em 38 cidades conforme números divulgados encaminhados nesta sexta-feira, 9, pela Secretaria Estadual da Saúde.
SURTO ATIVO
Fernandópolis é uma das 43 cidades brasileiras com surto ativo de sarampo incluídas no alerta emitido pelo Ministério da Saúde nesta semana. 
No alerta, o Ministério orienta pais, mães e responsáveis que vão viajar para uma destas cidades com os filhos de seis meses a menores de um ano de idade para que todas nesta faixa etária sejam vacinadas contra a doença, no período mínimo de 15 dias, antes da data prevista para a viagem. 
Além de proteger, a medida de segurança pretende interromper a cadeia de transmissão do vírus do sarampo no país. 
A chamada “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela. A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente do planejamento de viagens para os locais com surto ativo do sarampo ou não.
Para interromper a cadeia de circulação do vírus do sarampo, o Ministério da Saúde em parceria com os Estados e Municípios está realizando diversas ações, entre elas, o bloqueio vacinal seletivo e ações de rotina de vacinação; e campanhas de vacinação para a população de 15 a 29 anos de idade, esta última, em alguns municípios.
Para a interrupção dos surtos de sarampo, a pasta tem recomendado aos estados e municípios: reforçar as equipes de investigação de campo para garantir a investigação oportuna e adequada dos casos notificados; fortalecer a capacidade dos sistemas de vigilância epidemiológica do sarampo; e estabelecer estratégias para a implementação de ações de resposta rápida frente a casos importados da doença.

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');