Deputado da região lidera pedido de expulsão de Aécio

GERAL - 08:37:12
Rogério Castro/ Diário da Região
Deputado da região lidera pedido de expulsão de Aécio

O presidente estadual do PSDB, Marco Vinholi, que é de Catanduva, encabeçou o pedido de expulsão do deputado federal Aécio Neves do partido nesta terça-feira, 20. A representação de Vinholi, que desempenha a função de secretário estadual de Desenvolvimento Regional, foi encaminhada ao diretório nacional da legenda.
Vinholi pede que o caso de Aécio seja encaminhado para avaliação do Conselho de Ética e, posteriormente, ele seja expulso do partido. O pedido foi aprovado em reunião da executiva estadual por unanimidade nesta segunda-feira, 19. A situação do ex-senador foi agravada pela acusação de que ele teria pedido um empréstimo de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS.
"O Supremo Tribunal Federal (STF), em abril de 2018, recebeu denúncia ofertada pela Procuradoria-Geral da República em que o representado foi acusado de solicitar e receber recursos ilícitos, cuja origem está no grupo econômico J&F Investimentos, principalmente da empresa JBS S/A", consta na representação assinada por Vinholi, que afirma que os recursos tinham como objetivo o pagamento de honorários advocatícios em processo em que Aécio é acusado de corrupção.
O movimento para expulsar Aécio é parte do que Doria denominou como sendo uma "faxina ética" no partido. Essa nova filosofia partidária foi implantada após o resultado eleitoral de 2018, quando o candidato tucano Geraldo Alckmin foi derrotado nas urnas.
Se o pedido de expulsão for aceito, Aécio terá prazo de seis meses para se defender. Vinholi, no entanto, defende que o rito para a saída do ex-senador seja encurtado.
"A representação é encabeçada pelo presidente do PSDB, Marco Vinholi, e defende que as ações do deputado mineiro não correspondem à prática pregada pelo partido, infringindo as regras de ética e disciplina partidária", consta em nota.
Ainda de acordo com a representação, os fatos envolvendo o ex-senador, em tese, configuram crimes de lavagem de dinheiro e corrupção ativa. E, por estar no exercício do mandato, os fatos são "graves", na opinião de Vinholi.
O diretório municipal do PSDB na Capital já havia formalizado pedido da saída de Aécio da sigla. Esse pedido deve ser analisado já nos próximos dias pela executiva nacional da legenda. 
Atualmente, o PSDB em São Paulo está sob a influência do governador João Doria (PSDB), que tem anunciado a existência de um "novo PSDB". Na última sexta-feira, 16, o partido filiou o deputado federal Alexandre Frota, que foi expulso do PSL, após críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL).

 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');