CIDADÃO acompanha PF em mandado de prisão

GERAL - 08:58:16
CIDADÃO acompanha PF em mandado de prisão

A suposta venda de vagas no curso de medicina da Universidade Brasil, campus de Fernandópolis, levou a Polícia Federal a deflagrar na manhã desta terça-feira, 3, a operação “Vagatomia”, com o cumprimento de mandados de busca, apreensão e de prisão na cidade. O repórter de CIDADÃO, Franclin Duarte, serviu como testemunha em um dos alvos da operação. 
Passava das 6h, quando policiais deslocados de Campinas, Três Lagoas e Jales pararam a viatura em frente a uma residência no Parque Universitário. Após anunciar ao proprietário do imóvel que a casa seria alvo de um mandado de busca e apreensão, os agentes bateram nas casas vizinhas para que dois civis servissem de testemunha no cumprimento da ordem judicial. 
Em uma das casas estava o jornalista Franclin Duarte, redator de CIDADÃO, que aceitou o convite da PF e os acompanhou até o imóvel vizinho. Uma busca minuciosa foi realizada em todos os cômodos da casa, com a apreensão de documentos de alunos da Universidade, HDs de um computador, um celular e anotações com nomes de alunos. 
Para não atrapalhar as investigações, detalhes sobre o que aconteceu dentro da casa serão resguardados aos autos, mas o investigado, identificado como Nilton, chegou a confessar que prestava uma espécie de assessoria aos alunos na parte burocrática para obtenção de bolsas do ProUni – Programa Universidade Para Todos – e de financiamentos estudantis pelo Fies, cobrando por isso. 
Ao fim da vasculha, o delegado responsável pela guarnição anunciou que o investigado estava preso, em razão de um mandado de prisão temporária (5 dias). Ele foi levado para a sede da Polícia Federal em Jales, onde será ouvido e depois colocado à disposição da justiça. 
FEFECÊ 
A Justiça Federal decretou também a prisão preventiva do presidente do FFC – Fernandópolis Futebol Clube - Oclécio de Almeida Dutra e o vice, Ricardo Saravallida dupla com base em investigações ligadas a Universidade Brasil no inquérito que apura fraudes no curso de Medicina da Universidade. De acordo com as primeiras informações, Oclécio e Ricardo vinham sendo monitorados havia alguns dias.
Os dois dirigentes devem ser transferidos para a sede da Polícia Federal em Jales. A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em diferentes endereços em Fernandópolis e teria também resultado também na prisão do advogado Orlando Machado Jr.  A OPERAÇÃO 
Aproximadamente 250 policiais federais estão cumprindo 77 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Jales, em Fernandópolis, São Paulo, São José do Rio Preto, Santos, Presidente Prudente, São Bernardo do Campo, Porto Feliz, Meridiano, Murutinga do Sul, São João das Duas Pontes e Água Boa no Mato Grosso. 
Entre os mandados judiciais expedidos estão 11 prisões preventivas, 11 prisões temporárias, 45 ordens de busca e apreensão e 10 medidas cautelares (alternativas à prisão). A Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e valores dos investigados até o valor de R$ 250 milhões.
No início do ano, a PF recebeu informações que relatavam crimes e irregularidades que estariam ocorrendo no campus de um curso de medicina em Fernandópolis. Vagas para ingresso, transferência e financiamentos FIES para o curso de medicina estariam sendo negociados por até R$ 120 mil por aluno.
Durante oito meses de investigações, a PF apurou as informações recebidas e concluiu que o líder da organização criminosa é o próprio dono da universidade, que também ocupa o cargo de reitor. O empresário J.F.P.C., engenheiro, 63 anos, e seu filho, S.B.P.C, que também é sócio do grupo educacional, não só tinham conhecimento, mas também participavam dos crimes em investigação. Uma estrutura formada por funcionários e pessoas ligadas à universidade dava condições para que as fraudes fossem realizadas.
“Assessorias educacionais”, com o apoio dos donos e toda a estrutura administrativa da universidade negociaram centenas de vagas para alunos (muitos deles já identificados) que aceitaram pagar pelas fraudes a fim de serem matriculados no curso de medicina.

 

 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');