Bastidores

ARTIGOS - 17:29:13

VOCÊ...

caro eleitor é capaz de dizer no ato qual o político que articulou eleições municipais em Fernandópolis, e foi candidato a deputado sem nunca ter domicílio eleitoral na cidade?

POIS...

bem. A resposta é Gilmar Gimenes (PSDB). Para concorrer como candidato a deputado, o tucano nunca precisou possuir domicílio eleitoral em Fernandópolis. Como os planos dele para 2020 são outros, o tal domicílio agora se faz necessário.

NA...

semana, Gimenes providenciou a transferência de seu título eleitoral da Capital para Fernandópolis. Vai ser candidato a prefeito? Ao que se informa na intimidade do partido, não. A legenda tucana está mais para José Carlos Zambon, como deixa escapar Carlos Cabral, secretário da executiva municipal.

GIMENES...

conforme outras fontes, estaria na chapa majoritária, mas como candidato a vice-prefeito. Tudo vai depender do resultado de uma, ou mais pesquisas junto ao eleitorado fernandopolense. Há quem diga: o que   Gilmar quer mesmo é a vitória do PSDB na próxima eleição, e vai se enquadrar naquilo que for o melhor para seu partido.

O FTERNANDOPOLENSE...

apaixonado por política deve ficar preparado para as grandes emoções que vão marcar a eleição do próximo ano. Claro que o pique do batimento cardíaco ocorrerá em 5 de outubro, mas já na convenção em julho, ou até mesmo um pouco antes, será preciso cuidar das coronárias. Tudo pode acontecer no misterioso jogo político de Fernandópolis.

O GOVERNADOR...

João Doria (PSDB) entregou ao vice, Rodrigo Garcia (DEM), a articulação de alianças. Para se ter uma idéia da coisa, Garcia saiu a campo e já trabalha um acordo com deputados do MDB (Itamar Borges, entre eles), com ofertas de cargos no governo para emedebistas, buscando isolar Paulo Skaf.

EM...

Rio Preto, o Diário da Região destacou na página política, que a “investida de Rodrigo Garcia sobre MDB favorece Edinho” porque, segundo o jornal, Aráujo pode consolidar o apoio do DEM ao seu projeto de reeleição, e conquistar até o apoio do PSDB. Faz parte do projeto a eleição, de Rodrigo Garcia ao governo de São Paulo e de João Dória para presidente, na eleição de 2022.

COM...

base no “acordão rio-pretense”, como ficaria a situação de Fernandópolis? Doria e Rodrigo apoiariam Zambon, do PSDB, ou André Pessuto, do DEM?  Especula-se em área restrita do poder que há um plano para convencer Pessuto a não disputar a reeleição, em troca de, após término do mandato, a garantia de um cargo de relevância no governo paulista, com polpudo salário. Será?

 

 

Alencar Cesar scandiuzi

Alencar Cesar scandiuzi

Jornalista e Radiodifusor

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');