Bastidores

ARTIGOS - 17:22:04

OS RIO-PRETENSES...

estão experimentando somente agora o que nós, fernandopolenses, já desfrutamos há tempos. O Diário da Região do último dia 25 trouxe como manchete de capa a notícia de que a Área Azul de Rio Preto “terá pagamento fracionado”. Atualmente, o aplicativo da Emurb não permite o pagamento mínimo de R$ 2 por uma hora, apenas a partir de R$ 4 com acúmulo de duas horas de crédito.

ISSO MOSTRA...

que, pelo menos uma vez, Fernandópolis saiu na frente de todas as cidades da região. Demorou, foi traumático e carregado de polêmicas, mas saiu o novo sistema. Hoje são fartas as que antes eram raras vagas no centro da cidade. Tudo por conta de um controle eficiente que não permite que os comerciantes parem os carros em frente suas lojas e fiquem lá o dia inteiro, ocupando espaço de clientes.

PARA RECORDAR...

antes a Área Azul fernandopolense era tocada, em caráter precário, pela Ceads - Centro Educacional de Apoio, Desenvolvimento Social e Cultura – entidade fundada pela ex-prefeita Ana Bim. Assim que assumiu a prefeitura, André Pessuto baixou um decreto revogando a autorização de exploração dos serviços, antes mesmo da licitação para uma nova empresa administrar ser lançada.

O PREFEITO...

sempre negou ter feito isso por vingança.  Porém, o fato é que por conta do açodamento a cidade ficou sem cobrança na Área Azul por mais de um ano, estabelecendo um verdadeiro caos no trânsito central, avinagrando a população, causando, ainda, prejuízos incalculáveis para os comerciantes, o que gerou grande desgaste para a imagem de Pessuto.

POUCO MAIS...

de dez meses depois, no entanto, o trauma pela falta do serviço deu lugar à satisfação de boa parte da população que já aderiu ao novo sistema e não precisa mais ficar procurando pelos “guardinhas”, bem como agora paga apenas o que usa efetivamente, além da facilidade para encontrar vagas.

A CENTRAL

Park, com aplicativo de ponta é quem venceu a licitação da prefeitura e implantou o sistema digital para controlar eletronicamente o uso das vagas de estacionamento na área central. A empresa de Mogi das Cruzes divide com o aplicativo de transporte de passageiros Toindo, empresa genuinamente fernandopolense, o grande sucesso em termos de inovação e eficiência, graças à engenharia das plataformas especializadas e das startups.

STARTUP...

é empresa ou negócio novo ou em fase de arranque, geralmente de caráter inovador e ligado à tecnologia. As duas empresas que atuam em Fernandópolis podem ser consideradas pioneiras, e em pouco tempo já conquistaram aprovação da população.

SE...

 de um lado, ninguém mais reclama de falta de vagas para estacionar; de outro, o app de transporte de passageiros gerou empregos para motoristas, trouxe mais conforto, atendimento rápido e menor preço. Quem se coloca contra tais inovações, está parado no tempo, ou pior, está regredindo na vida.

 

 

Alencar Cesar scandiuzi

Alencar Cesar scandiuzi

Jornalista e Radiodifusor

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');