O que aconteceu com Josias? Família espera resposta há um ano

GERAL - 17:34:40
O que aconteceu com Josias? Família espera resposta há um ano

7 de novembro de 2018, uma quarta-feira. Josias Marques da Silva, 62 anos, saiu de manhã de casa no bairro da Estação apenas com a roupa do corpo, portando os documentos e o dinheiro de sua aposentadoria, sem dizer para onde iria. Nunca mais retornou. 
7 de novembro de 2019, a filha Josiane Flauzino, diz que o pesadelo continua um ano depois. “Não sei se está vivo, se está bem, se está morto. Se a pessoa morre, a gente sofre, mas há um desfecho, tem um sepultamento digno. Nem isso pudemos fazer.  Desde o dia que procuramos a polícia para relatar o seu desaparecimento, estamos sem saber o que aconteceu com meu pai”, relatou.
Josias teria sido visto por último nas proximidades do Condomínio Brasitália. A família inclusive solicitou a gravação de algumas câmeras de segurança na região para confirmar se de fato era ele e se chegou a pegar carona com alguém, já que chovia muito no momento.  
A DIG apura o caso desde então e inclusive realizou uma busca na mata que margeia o córrego Santa Rita, nas proximidades de onde ele teria sido visto por último, logo no início das investigações. Com autorização judicial, o sigilo bancário dele também foi quebrado e ficou constatado que desde o seu desaparecimento ninguém movimentou sua aposentadoria, descartando, em tese, a possibilidade de que ele tenha sumido por conta própria. 
Recentemente, a Polícia chegou imagens de um homem visto em Araçatuba que poderia ser Josias, mas a informação passada pela família não se confirmou. 
“É uma angustia muito grande. Não é só hoje (quinta-feira, 7) que faz um ano do seu desaparecimento. Todos os dias eu e meu irmão vivemos essa angustia de não saber o que aconteceu com ele”, relatou em entrevista à Rádio Difusora
Recentemente, questionada por CIDADÃO, a SSP – Secretaria de Segurança Pública – do estado de São Paulo, informou que a Polícia Civil não interrompeu as buscas pelos aposentados Josias Marques da Silva, de 62 anos, e Durvalino Perasol, 80 anos, outro idoso que desapareceu em Fernandópolis em 25 de janeiro e até hoje a família também não tem notícias de seu paradeiro. 
Em nota, a secretaria informou que a DIG - Delegacia de Investigações Gerais – já realizou diversas diligências e agora busca novos elementos que possam auxiliar na elucidação dos casos. “Os dois casos citados pela reportagem permanecem em investigação pela Delegacia de Investigações Gerais de Fernandópolis, por meio de PID - Procedimento de Investigação de Desaparecido. A equipe ouviu familiares, testemunhas e realizou análise de imagens de câmeras de monitoramento. Os agentes buscam por novos elementos que possam auxiliar no encontro das vítimas”, diz o documento.
De acordo com a filha de Josias, ela foi informada na Polícia de que somente após dois anos do desaparecimento do pai é que a Justiça poderá emitir documento da chamada morte presumida.
 

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');