Uma empresária com a sublime missão de transformar uma retífica de motores de 60 anos

OBSERVATÓRIO - 17:45:23
Uma empresária com a sublime missão de transformar uma retífica de motores de 60 anos

Empresária? Retífica de motores? Isso mesmo, a Retífica São José é comandada pela Juliana Pezati Zantedeschi, uma empresária que atua num segmento extremamente machista, pois trata de um negócio totalmente dominado por homens, devido inclusive as suas características, tais como profissionais de mecânica, torneiros mecânicos, fresadores, lavadores de motor, montadores e recepcionistas técnicos. Questionar os problemas como encamisar bloco de cilindro, ajustar mancais, brunir bloco de cilindro e mandrilar bielas, não são temáticas muito faceis para uma mulher. Mas não para a Juliana, isso virou uma rotina, ela tira “de letra”, todos os debates e dúvidas envolvendo as complexas operações de uma retífica completa de motor à gasolina e ou a diesel, envolvendo vários processos de usinagem e mecânica.
Isso tem uma explicação: desde os seus 3 anos de idade, seu pai, Francisco Zantedeschi (o Xiko), a levava para a Retífica e ela com a sua pequenina bicicleta de 3 rodas, já perambulava entre as máquinas daquela época. Com o tempo passando, o sábio Xiko, a levou para trabalhar na Retífica, exigindo que ela passasse por todos os setores da empresa. Com o passar do tempo, Juliana já era o braço direito de seu pai. Na universidade, Juliana cursou administração de empresas e fez vários cursos de especialização e não imaginava que isso seria de fundamental importância para sua vida profissional. Com a perda de seu pai, Juliana naturalmente, assumiu os negócios da Retífica. Hoje, a Retífica São José, todos os seus funcionários, fornecedores e clientes, têm a honra de ter a Juliana Zantedeschi, como sua diretora, porque o “velho” Xiko a preparou muito bem para tocar os negócios da empresa da família. Ainda não faz muito tempo, quando Juliana visitava seus clientes, como grandes transportadoras, frigoríficos e usinas sucroalcooleiras e, ao se dirigir para as oficinas dessas empresas, dominadas 100% por homens, discutia soluções para as demandas de retíficas daquele momento Ninguém acreditava que se tratava de uma empresária do ramo de retífica de motores, era sempre algo inusitado. Mas isso já ficou para trás, hoje o mercado respeita a metodologia de negócios de Juliana, respeita todos os serviços que a Retífica São José produz, por uma razão muito simples: ela cumpre 100% o que promete. Graxa, resíduos de aço dos tornos e usinagem já não fazem parte de sua rotina diária. À frente de uma das maiores empresas de retífica de motores do noroeste paulista, Juliana conta com equipe técnica das mais experiente no mercado, em média com 28 a 30 anos de casa.  Juliana Pezati Zantedeschi é a entrevistada de hoje:
 
A Retífica São José é umas das mais tradicionais empresas da cidade. Como ela está se preparando para os novos tempos?
De fato, a Retífica São José é uma empresa de quase 60 anos e é também a maior e mais completa retífica de motores do noroeste paulista. Cada profissional do nosso corpo técnico tem em média entre 28 a 30 anos de experiência, considerando todas as áreas de diagnóstico, análise mecânica, usinagem, montagem de motores e testes de inspeção final. Isso significa que somos fortes na prática, gerando uma das melhores relações do tipo “custos-benefícios” do mercado. Exatamente como você perguntou, a empresa se prepara nesse momento, para um salto tecnológico em seus negócios. Nesse ciclo histórico de quase 60 anos, a empresa passou por vários momentos de crises, superações, principalmente com os complexos planos econômicos, ajustes da conjuntura econômica, Plano Real e outros, que de uma forma ou outra, sempre impactaram e causaram insegurança no mercado em que atuamos. Mas sempre vencemos as dificuldades e chegamos até aqui. Agora temos um desafio pela frente: é a revolução tecnológica dos motores que funcionam com base na sustentação dos controles eletrônicos, motores híbridos e os próprios motores movidos a eletricidade. Todas essas inovações trazem fortes impactos em nossos negócios, a ponto de provocar em nossas estratégias uma situação muito evidente, ou seja, terminamos um ciclo empresarial e um novo tempo começa na Retífica São José, é o tempo da inovação tecnológica. Vamos começar 2020 dentro dessa nova realidade, até 2018 não tínhamos nenhum computador em nossas linhas de usinagem, neste ano de 2019 já colocamos alguns, e em 2020, serão utilizados uma dúzia de tabletes, possibilitando que cada processo produtivo, seja gerenciado em termos de tempo de produção, produtividade e procedimentos adotados (sistema Toyota de produção).
A fachada da empresa, com estacionamento para doze veículos, ocupa espaço nobre na principal avenida da cidade, a Expedicionários Brasileiros, interligada à oficina que fica voltada para a rua Édio Alves de Oliveira. A nova gestão tem planos para dar nova ocupação a esse espaço nobre?
Como já dissemos, a Retífica São José já começou um novo ciclo de negócios em 2019, ciclo este que continuará em 2020, isso significa mudanças. O espaço nobre, como você se referiu, estava sendo ocupado pela nossa contabilidade e sala da diretoria (80% do espaço) e pela loja de venda de peças (20% do espaço). No nosso plano de negócios, decidimos que nosso foco será prestação de serviços modernizantes, focados nos cenários das novas demandas relacionadas aos veículos leves de versão eletrônica e também nos veículos pesados (diesel), assim vamos transferir a nossa loja para junto dos serviços da retífica, cuja entrada é rua Édio Alves de Oliveira. Também terceirizaremos a nossa contabilidade e liberaremos esse espaço nobre de mais de 300m² em plena avenida Expedicionários Brasileiros. Todas essas alterações, redundarão em significativas reduções de custos e melhoria na qualidade dos serviços, assim como da nossa nova política de atendimento. Você pode ver que agora, minha nova sala está na área de produção e recepção, tenho total acompanhamento do que acontece nos processos de atendimento e prestação de serviços. Respondendo a parte final da sua pergunta, temos o orgulho de informar que essa área da Retífica São José, está sendo reformada para preparar as novas instalações, visando atender aos dois novos projetos que serão ali instalados, os quais gostaríamos de manter confidencialidade, mas podemos adiantar que serão negócios inovadores, relacionados ao segmento de câmbios automáticos, das principais marcas nacionais e importados.
Como o mercado percebeu essas mudanças, já que a área mais nobre está, praticamente, fechada aos clientes?
Bem, como sempre ocorre, qualquer mudança mais radical num negócio é interpretada pela comunidade que a cerca, com avaliações de todos os tipos, inclusive pelas pessoas do tipo “pessimistas de carteirinha”, o que acabou gerando comentários do tipo “está fechando”, por parte dos torcedores do pessimismo. Mas logo perceberam que se tratava de uma mudança estratégica, inclusive com fornecedores, clientes e até concorrentes, que vieram nos visitar e logo compreenderam que se tratava, realmente, de uma mudança de ordem inovadora. Tivemos, inclusive. um dos melhores resultados econômico-financeiros nos últimos meses, com a excelente combinação de aumento de vendas com reduções de custos.
Desde a fundação em 1962, até tempos recentes, as tecnologias automotivas demoravam para absorver modernidades. Hoje, os tempos são outros, as tecnologias se multiplicam a todo instante. Como a Retífica se inseriu nessa nova realidade?
Basicamente, o mercado de retífica de motores, se constitui da imensa frota atual de veículos usados, rodando pela nossa região, soma-se a ela a frota de veículos pesados (a diesel) utilizados no transporte de cargas e na produção agrícola, assim como maquinários especializados na agricultura tais como tratores e colheitadeiras de grãos (soja, milho, cana, etc.). Isso significa que temos muito mercado tradicional ainda, mas o maior mercado que é o de veículos leves, a nossa concorrência aumentou muito, pois não existem barreiras que dificultam a entrada de novos concorrentes, basta meia dúzia de equipamentos nas mãos de um mecânico experiente e, pronto, já nasce um novo concorrente. Acontece que nas gerações mais modernas de veículos leves, pela elevada competência industrial das montadoras, a diferença entre o preço de um motor novo com os serviços da retífica de motor usado, está caindo todos os dias, e logo ficará mais barato comprar o motor novo. Isso já foi detectado pela nossa empresa, é por isso que estamos nos preparando para sermos distribuidores autorizados dos fabricantes de peças parciais e ou conjunto de peças, utilizados nas versões mais modernas de motores. Mas, existe um gargalo: a mão de obra treinada, que é praticamente inexistente hoje no mercado, de técnicos mecânicos que saibam trabalhar com scanner eletrônico e identificar pontos de inferência no sistema motriz. Em 2020, a nossa empresa deverá buscar apoio nas entidades como SENAI, ETEC e órgãos associativos do segmento, visando oferecer cursos de especialização aos jovens técnicos e ou tecnólogos, visando formar mão de obra especializada sobretudo em temas como scanner eletrônico, retífica de câmbios automáticos e outras especializações modernas, visando atender às novas demandas do mercado.
Uma das tradições da empresa era dispor de uma equipe, onde muitos colaboradores iniciavam como aprendizes e ficavam até a aposentadoria. Esse espírito permanece?
O espírito de formar equipe com alto desempenho ainda é nossa marca registrada, mas a realidade é outra. Temos aqui uma equipe de aprendizes conforme reza a legislação a termo, no entanto, os nossos jovens aprendizes preferem trabalhar na administração, raramente encontramos um jovem aprendiz interessado na parte produtiva e ou de apoio à produção. No nosso caso, temos apenas um jovem que se interessou a aprender uma profissão e ainda é de apoio à produção. Nas cidades de médio porte ainda não existe uma conexão para valer, daquilo que as indústrias precisam de recursos humanos para suas operações, inclusive nas áreas produtivas, o que vemos é uma política de cima para baixo, sem considerar as verdadeiras demandas do dia a dia das empresas de serviços com forte matriz de tecnologia. Exemplo: dependendo da pane eletrônica do seu carro, você corre o risco de ter que levá-lo a São José do Rio Preto ou Votuporanga, para resolver o problema. Pode perceber que falta uma inteligência gestáltica (o todo é maior que o somatório de suas partes) nas cidades de médio porte nas questões de projetos de desenvolvimento econômico-social, quando o assunto é formação especializada de mão de obra. Em outras palavras, não temos como crescer porque falta mão de obra, mesmo que teórica, sem prática, porque a qualificação pode ser papel da nossa empresa, mas temos que ter candidatos que saibam pelo menos como  “calcular a área do cilindro”. Voltando à sua pergunta, temos um ambiente empresarial que cativa e motiva nossos colaboradores e vamos manter isso para as futuras contratações, inclusive os talentos que se destacarem.
A pequena oficina aberta em 1962 por José Zantedeschi (seu avô) e seu pai Xiko é parte da história de Fernandópolis. O que representa esse legado para os novos tempos da empresa?
Representa um grande orgulho e um sentimento de resistência diante das eventuais dificuldades, assim como vibração plena de entusiasmo quanto obtemos grandes realizações e feitos pela nossa empresa. Ambos, meu avô (Sr. José) e meu pai (Xiko) são pessoas inspiradoras para mim e dos funcionários, as memórias deles são exemplos de atuações que até hoje nos balizam em determinadas situações. Hoje ainda, existem várias normas e relatórios gerenciais cujos algoritmos são mantidos e respeitados até agora. Temos um espaço (sala) com todos os mimos, quadros, taças de conquistas e diplomas, da época deles e os guardamos com muito orgulho. Esse legado para os novos tempos, representa um conjunto de força, fé e garra para crescer e vencer, trazemos isso no DNA da empresa e isso nos encoraja muito em todos os momentos. Temos consciência plena de que a empresa precisa de grandes inovações se quiser continuar no mercado, teremos que nos reinventar em várias áreas de nossa atuação, mas sempre atrelado às demandas do mercado, o qual se evolui a todo instante, diferencialmente da época dos nossos antepassados, isso exige dos tomadores de decisão, ações corajosas e rápidas. Agora tudo está mudado e boa parte dos negócios da Retífica São José deverá sofrer uma grande disruptura, sai o torneiro mecânico e entra o programador de telemetria, sai o soldador manual, e entra a robótica de solda, saem os cartões Kanban e entram os tabletes do PCP, saem os OS – ordem de serviços manuais e entram os computadores no chão da usinagem, sai a telefonista e entra o sistema inteligente de atendimento automático. Sabemos que todas essas inovações precisam ser rápidas para sairmos na frente dos nossos concorrentes, mas elas serão feitas com total respeito às condutas éticas, morais e colocando o ser humano em primeiro lugar.
Você se coloca hoje, dentro da história da Retífica São José, como a terceira geração?
Não, hoje represento o comando da Retífica São José, como sendo da segunda geração e sinto orgulho disso e sei da minha missão em seguir tocando o negócio, efetuando todas as inovações, mudanças necessárias e enfrentando todas as resistências e gargalos, que costumam surgir nesses momentos na história das empresas. Existe uma grande determinação em levar a empresa adiante e faremos isso, e quando a situação se torna desafiadora, invoco os meus antepassados e as suas memórias, extraio a força maior para superar todas as barreiras. Não tenham dúvida, mesmo sendo o segmento de retífica muito machista, é exatamente nele que serei uma mulher vencedora.
Qual foi o maior ensinamento deixado pelo seu pai?
Foi a CORAGEM!!!
Coragem para ser mãe e empresária;
Coragem para negociar com imparcialidade;
Coragem para comandar uma retífica de motores;
Coragem para efetuar mudanças e disrupturas nos negócios;
Coragem para tomar decisões difíceis na empresa;
Coragem como mulher para tocar o maior negócio de retíficas de motores, do noroeste paulista, sendo um segmento dominado 100% por homens;
Coragem de ser uma mulher empreendedora, que QUER SEGUIR EM FRENTE com o seu negócio e vencer!!!

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');