O prefeito empreendedor de Santa Fé do Sul

GERAL - 00:00:00
O prefeito empreendedor de Santa Fé do Sul

Itamar Francisco Machado Borges

Itamar Francisco Machado Borges, bacharel em Direito e educação Física, 40 anos de idade, casado com Gislaine e pai de Gabriela e Maria Rafaela, corintiano nascido em Santa Fé do Sul, obcecado pela busca à perfeição, é o festejado prefeito de Santa Fé. Na última segunda-feira, ele ganhou novamente o prêmio “Prefeito Empreendedor” do Sebrae. Nesta entrevista, Itamar fala de seu trabalho e dos planos para o futuro. E garante: a única coisa que o tira do sério é ver o Corinthians perder para o Palmeiras.

CIDADÃO: Novamente o sr. é destaque no prêmio “Prefeito Empreendedor”, do Sebrae. Considerando que a filosofia dessa honraria é “reconhecer e valorizar os administradores municipais que implementam ações de apoio aos pequenos negócios e de incentivo à cultura empreendedora”, qual é o segredo do seu sucesso em Santa Fé do Sul? A cidade progrediu muito nesses setores?
ITAMAR BORGES: O segredo é a perseverança, aliada à objetividade dos nossos propósitos como político, administrador e, fundamentalmente, cidadão. A população de Santa Fé do Sul tem uma vocação, eu diria, nata, ao empreendedorismo, então o que nós fizemos foi traduzir essa vocação, por meio de medidas administrativas que às fizessem se manifestar ainda mais acentuadamente na forma de novas empresas e empreendimentos. A Prefeitura de Santa Fé desenvolveu ações de redução de tributos municipais para todas as empresas no plano de incentivo à geração de empregos e subvenção para empresas que contratam jovens. Estas ações têm o propósito de aumentar a geração de emprego e renda no município, incentivar a abertura de novos negócios e estimular a formalização às novas empresas. Felizmente obtivemos o reconhecimento do rigoroso corpo de jurados do Prêmio Prefeito Empreendedor, que pesquisou a fundo e entendeu as nossas ações, para nos premiar com o 1º lugar entre todos os municípios paulistas, no que se refere a Desburocratização e Desoneração Tributária. Nós recebemos o Prêmio na última segunda-feira, dia 14, no Palácio dos Bandeirantes, do governo do Estado de São Paulo, e isso nos estimula a prosseguirmos com as nossas ações.

CIDADÃO: O prêmio é uma viagem à Espanha e Portugal, para conhecer cidades com projetos de desenvolvimento econômico e social sustentável. O sr., como vencedor do prêmio em 2005/2006, já fez essa viagem. Os modelos visitados na Europa têm mesmo algo a oferecer às cidades brasileiras?
ITAMAR BORGES: Sem dúvida. A experiência humana de êxito empreendedor, seja européia, asiática, norte-americana, sul-americana, africana, da América Central ou da Oceania é sempre uma experiência que se transforma em benefícios para os seus povos. Os modelos têm tanto a oferecer a nós quanto nós a eles, ainda que guardadas as proporções dos mais de dez séculos de processo civilizatório que nos distanciam. No ano passado, por exemplo, também por conta de ter obtido o 1º lugar no Prêmio Nacional de Prefeito Empreendedor, visitamos a Itália. Pudemos ver, conversar, trocar impressões e idéias com administradores que obtém pleno êxito, por exemplo, na região de Úmbria, com o associativismo de pequenas empresas: sua união para o benefício comum. Ora, aplicamos esse método em Santa Fé, quer um exemplo. Programas como o Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável da Piscicultura, que aproveita a localização da cidade às margens do rio Paraná, para promover a geração de renda, transformando-se em alternativa de produção a jovens e adultos. Além da pesca, o projeto que envolve novas tecnologias para a criação de peixes, promove também o artesanato, criado a partir do couro dos animais, e que funciona como uma nova frente para a absorção de mão de obra. Há também a Cooperativa Agroindustrial, no Galpão de Agronegócios, entre outro. Portanto, em todo o mundo temos a aprender e à oferecer, o que nos faz pularmos etapas menos importantes, e reforçarmos aquelas que efetivamente dão certo.

CIDADÃO: Ainda jovem, o sr. já garantiu espaço na galeria das lideranças políticas regionais e é tido até pelos adversários como um político competente. Qual é o seu segredo?
ITAMAR BORGES: Trabalhar, trabalhar e, em seguida, trabalhar mais. Nossa cidade, nosso Estado, nosso país, precisam de disposição e trabalho para se igualarem aos primeiros do mundo. Como um político que se orgulha de ser político, nós não medimos esforços, horas de trabalho ou distâncias para fazer valer a confiança que o povo nos deposita. Queremos, sim, ajudar a limpar eventuais máculas que se coloca sobre a classe política, demonstrando que é possível construirmos uma vida nova à população, por meio da seriedade dos propósitos e ações. Não tem segredo, tudo aquilo que praticamos é bastante explícito. Aparece regional, estadual e nacionalmente por ser explícito!

CIDADÃO: Uma característica do seu modus operandi administrativo é o uso de um pequeno gravador, no qual o sr. registra tudo o que observa e conversa durante o dia de trabalho. Qual é a utilidade desse recurso?
ITAMAR BORGES: A utilidade essencial é a de não deixar nada sem registro, omitido pelo esquecimento. É preciso que resolvamos os problemas ou aproveitemos as soluções da forma que eles se apresentam para nós. O gravador, na verdade, é um hábito, que torna bastante prático o enfrentamento de qualquer problema.

CIDADÃO: Poderia citar algumas de suas ações em Santa Fé do Sul que fazem a diferença em sua administração e que conseqüentemente levam os moradores das cidades da região a desejá-lo como prefeito de seus municípios?
ITAMAR BORGES: Olha, embora bastante eficazes, são programas simples que fazem a diferença. Temos, por exemplo, o Centro de Geração de Rendas, a Sala do Empreendedor, o Proagrosul (que estimula o intercâmbio tecnológico entre o poder público e os pequenos produtores rurais), o Banco da Terra (que promove uma espécie de reforma agrária, destinando 3 alqueires a cada família, e que já se encontra no terceiro assentamento), o Condetur (que elevou a cidade à condição de Estância Turística e abriu inúmeras frentes de emprego e renda nas atividades voltadas a esse mercado), os programas Jovem no Trabalho e Jovens Empreendedores (que promovem o primeiro emprego a uns, e cursos de empreendedorismo nas escolas públicas e particulares, desde o Ensino Fundamental), o Banco do Povo (que concede crédito a trabalhadores autônomos, como pedreiros, encanadores, eletricistas e prestadores de serviço em geral, para o financiamento e abertura de pequenos negócios), entre outros. Literalmente “ensinando a pescar”, o município mantém, por exemplo, programas como o de piscicultura, que mencionamos há pouco. Enfim, tudo isso, aliado aos decretos e leis de incentivo, que promulgamos desde 2001, têm, sim, feito a diferença, para a nossa satisfação e a de nossa população.

CIDADÃO: A região noroeste paulista tem boas perspectivas para o futuro ou a guerra fiscal com estados vizinhos continuará minando a economia regional, diminuindo receitas e oferta de empregos?
ITAMAR BORGES: A região noroeste paulista é extremamente importante para a economia não somente do Estado de São Paulo, mas também do Brasil. Estamos convictos desse grande potencial sócio-econômico, que somente atingirá o ápice quando for ajustada uma reforma tributária que venha a evitar a guerra fiscal entre os Estados. Nesse aspecto devemos considerar que se trata de uma questão a ser resolvida no âmbito dos governos estaduais e do governo federal.

CIDADÃO: Ao final de seu mandato, no próximo dia 31 de dezembro, qual será o próximo objetivo político?
ITAMAR BORGES: Ainda é cedo para me posicionar em relação ao futuro. É preciso aguardar o momento certo. No entanto, havendo necessidade de desenvolver algum trabalho regional, estarei plenamente à disposição.
OBSERVATRIO

VEJA TAMBÉM

teste

ga('send', 'pageview');